Your browser doesn't support javascript.
Perfil socioeconômico e epidemiológico dos trabalhadores do Ministério da Saúde do Brasil / Socioeconomic and epidemiological profile of workers in the Brazil’s Ministry of Health
Comun. ciênc. saúde ; 28(3-4): 303-312, jul. 2017. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-972678
Biblioteca responsável: BR599.1
RESUMO

Objetivo:

apresentar perfil socioeconômico e epidemiológico dos trabalhadores do Ministério da Saúde, com ênfase para a interferência de fatores do ambiente de trabalho sobre a condição de saúde.

Método:

estudo descritivo e transversal, com amostra de 2038 participantes.

Resultados:

trata-se de segmento jovem, com maioria de mulheres,alta escolaridade e renda. Não há hegemonia das profissões da Saúde e o curso de administração é o mais prevalente. Os indicadores de saúde revelam uma amostra com boa autoavaliação da condição de saúde física e mental, praticante de atividade física (54,5%) e não fumante (91,9%). De todo modo também se encontrou alta prevalência de sobrepeso, dislipidemias e doenças osteoarticulares. Os fatores citados como sempre interferindo negativamente no ambiente de trabalho foram “falta de incentivo institucional” (30,3%),mobiliário inadequado (23,1%) e ambiente físico (18,0%). A demanda por atividades de promoção da saúde é maior para as atividades físicas (65,6%) e ações relacionadas à nutrição (53,4). As evidências encontradas podem subsidiar ações de promoção da saúde no ambiente de trabalho e intervenção em fatores relacionados ao ambiente físico.
ABSTRACT

OBJECTIVE:

To identify socioeconomic and epidemiological factors associated with workers at Brazil’s Ministry of Health.

METHOD:

descriptive, cross-sectional study that has measured sociodemographic and health-related variables, stressors at work and demand for health promotion activities. The research presents the findings of a sample of 2038 participants.

FINDINGS:

young people, mostly women with high levels of education and income, compose most of the researched group. There is no hegemony of health-related professions the prevalent professions are those with an undergraduate management background. Health indicators show a healthy lifestyle, good self-assessment of physical and mental health conditions, people who practice physical activities (54.5%) and nonsmokers (91.9%) among the participants. A high prevalence of overweight, dyslipidemias and osteoarticular diseases was found. Factors cited as always negatively interfering in the work environment were “lack of institutional incentive” (30.3%), inadequate furniture (23.1%) and physical environment (18.0%). The demand for health promotion activities is higher for physical activities (65.6%) and actions related to nutrition (53.4%). The findings of this research provide insightful indicators to prepare employees’ profile at Brazil’s Ministry of Health.
Assuntos

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Ambiente de Trabalho / Saúde do Trabalhador / Pessoal de Saúde / Promoção da Saúde Limite: Feminino / Humanos / Masculino País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Revista: Comun. ciênc. saúde Assunto da revista: Medicina Ano de publicação: 2017 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Ministério da Saúde/BR / Universidade de Brasília/BR