Your browser doesn't support javascript.
loading
Descrevendo as condições de vida de uma comunidade atendida pelo Programa de Saúde da Família em um bairro de Guarulhos
Santos, Gérson de Souza; Santos, Álvaro da Silva.
Afiliação
  • Santos, Gérson de Souza; Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos. Brasil
  • Santos, Álvaro da Silva; Centro Universitário Nove de Julho. São Paulo. Brasil
Saude colet ; 3(13): 25-29, jan.-fev. 2007.
Artigo em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-56595
Biblioteca responsável: BR67.1
Localização: BR67.1
ABSTRACT
Trata-se de uma investigação sobre condições de vida, em uma comunidade acompanhada pelo Programa de Saúde da Família (PSF). Tendo como

objetivo:

traçar um perfil de condições e qualidade de vida das famílias cadastradas no PSF num território no município de Guarulhos-SP. Pesquisa de caráter quantitativo, do tipo exploratório e descritivo, usando um questionário com 14 perguntas fechadas e 2 abertas. Foram entrevistados 300 chefes de família cadastrados e acompanhados pelo PSF. Como principais resultados destacam-se 45 por cento dos chefes de família têm até 40 anos; grande participação da mulher como chefe de família (48 por cento); 42 por cento dos chefes de família vivem sem parceiros; 8 por cento são analfabetos, 5 por cento analfabetos funcionais, 57 por cento têm ensino fundamental incompleto; 63 por cento dos pesquisados são negros e/ou pardos; 66 por cento têm acima de 4 pessoas compondo o domicílio (16 por cento acima de 7 pessoas); 17 por cento dos domicílios tendo de 1 a 2 pessoas analfabetas funcionais; 89 por cento têm até de 1 a 3 pessoas trabalhando, mas a renda familiar chega no máximo a 3 salários mínimos em 79 por cento dos entrevistados, o que pode caracterizar subemprego ou emprego informal dado ao número de desempregados (40 por cento); 66 por cento são católicos e 34 por cento evangélicos, com 74 por cento destes não praticantes; 80 por cento moram em casas de tijolos e 20 por cento em casas de madeira; 58 por cento dos pesquisados estão insatisfeitos com sua moradia; 56 por cento sem nenhuma forma de lazer. Estes resultados apontam para a necessidade de políticas públicas compensatórias, podendo reluzir a identidade de outras comunidades atendidas pelo PSF, já que não deixa de ser uma política de redução de ineqüidades sociais.(AU)
Assuntos
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas Tema em saúde: Objetivo 11 Desigualdades e iniquidades na saúde Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Qualidade de Vida / Condições Sociais / Diagnóstico da Situação de Saúde / 36397 Tipo de estudo: Pesquisa qualitativa Idioma: Português Revista: Saude colet Ano de publicação: 2007 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Centro Universitário Nove de Julho/Brasil / Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos/Brasil
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas Tema em saúde: Objetivo 11 Desigualdades e iniquidades na saúde Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Qualidade de Vida / Condições Sociais / Diagnóstico da Situação de Saúde / 36397 Tipo de estudo: Pesquisa qualitativa Idioma: Português Revista: Saude colet Ano de publicação: 2007 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Centro Universitário Nove de Julho/Brasil / Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos/Brasil
...