Your browser doesn't support javascript.
loading
Concepções dos agentes comunitários de saúde sobre sua prática no programa de saúde da família / Conceptions of community health agents about its practice in family health program
Jorge, Maria Salete Bessa; Albuquerque, Kílvia Maria; Pequeno, Lucianna Leite; Assis, Marluce Maria Araújo; Guimarães, José Maria Ximenes.
Afiliação
  • Jorge, Maria Salete Bessa; Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza. Brasil
  • Albuquerque, Kílvia Maria; Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza. Brasil
  • Pequeno, Lucianna Leite; Universidade Estadual do Ceará. Fortaleza. Brasil
  • Assis, Marluce Maria Araújo; Universidade Estadual de Feira de Santana. Feira de Santana. Brasil
  • Guimarães, José Maria Ximenes; s.af
Rev. aten. primária saúde ; 10(2): 128-136, jul.-dez. 2007.
Artigo em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-58414
Biblioteca responsável: BR67.1
Localização: BR67.1
ABSTRACT
O estudo analisa as concepções do agente comunitário de saúde (ACS) sobre sua prática no Programa Saúde da Família (PSF), em Caucaia, Ceará, Brasil. A prática do ACS é compreendida como social que é legitimada pelo contexto político do setor saúde, em face à dinâmica cotidiana do trabalho na unidade de saúde, em busca da integralidade da atenção. A metodologia adotada foi qualitativa, tendo como técnicas de coleta de dados a entrevista semi-estruturada e a observação da prática. Os participantes do estudo foram onze ACS. A análise do material empírico foi orientada pela análise de conteúdo temática. O estudo revela que o PSF abriu as possibilidades de se constituir em porta de entrada do sistema, ou seja, o primeiro contato na rede de serviços e referências dos usuários para outras unidades de maior complexidade. A prática do ACS no PSF evidencia mudanças na atenção primária à saúde (APS), exercendo o papel de porta-voz da comunidade, através de ações que visam à melhoria da vida das famílias sob sua responsabilidade. No entanto, um dos limites enfrentados diz respeito à ampliação de novas demandas, necessitando de uma ação intersetorial mais efetiva. Conclui-se que o ACS centra suas ações de forma pontual, valorizando as demandas para um problema específico em unidades básicas tradicionais; e ações diferenciadas junto à família, no PSF, ultrapassando muitas vezes os limites da saúde, à medida em que a comunidade vai apontando novas demandas, anseios e problemas relativos ao cotidiano familiar, requerendo atenção a múltiplos aspectos das condições de vida da população.(AU)
Assuntos
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados temática Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Atenção Primária à Saúde / Prática Profissional / Agentes Comunitários de Saúde / 36397 / Mão de Obra em Saúde Tipo de estudo: Pesquisa qualitativa País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Revista: Rev. aten. primária saúde Ano de publicação: 2007 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Universidade Estadual de Feira de Santana/Brasil / Universidade Estadual do Ceará/Brasil
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados temática Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Atenção Primária à Saúde / Prática Profissional / Agentes Comunitários de Saúde / 36397 / Mão de Obra em Saúde Tipo de estudo: Pesquisa qualitativa País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Revista: Rev. aten. primária saúde Ano de publicação: 2007 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Universidade Estadual de Feira de Santana/Brasil / Universidade Estadual do Ceará/Brasil
...