Your browser doesn't support javascript.
loading
Agentes comunitários de saúde da zona leste do município de São Paulo: um olhar para seu estado nutricional e consumo alimentar
Freitas, Alexandra Corrêa de; Marcolino, Fernanda Ferreira; Santos, Irani Gomes dos.
Afiliação
  • Freitas, Alexandra Corrêa de; Nutrio-Assessoria em Nutrição e Qualidade de Vida. Brasil
  • Marcolino, Fernanda Ferreira; Casa de Saúde Santa Marcelina. São Paulo. Brasil
  • Santos, Irani Gomes dos; Faculdade Santa Marcelina. Unidade de Ensino Itaquera. São Paulo. Brasil
Rev. bras. promoção saúde ; 21(1): 3-12, 2008.
Artigo em Português | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-59490
Biblioteca responsável: BR67.1
Localização: BR67.1
ABSTRACT

Objetivo:

Caracterizar o perfil sócio-demográfico, o estado nutricional, a presença de doenças crônicas não-transmissíveis e o consumo alimentar de agentes comunitários de saúde (ACS) pertencentes a cinco Unidades de Saúde da Família da Zona Leste do Município de São Paulo.

Métodos:

Tratou-se de um estudo quantitativo, descritivo e exploratório desenvolvido com 88 indivíduos. Coletaram-se dados sobre a situação sócio-demográfica, dados antropométricos (peso, estatura e circunferência da cintura), informações sobre presença de doenças crônicas não-transmissíveis e de consumo alimentar.

Resultados:

Os participantes dessa pesquisa eram predominantemente do sexo feminino 83 (94,3 por cento), com idade variável entre 20 e 55 anos. A maioria era natural da região Sudeste 72 (81,2 por cento), possuía ensino médio concluído 71 (80,7 por cento) e tinha renda familiar entre 2 e 5 salários mínimos 62 (70, 4 por cento). A avaliação antropométrica revelou que 46 (52, 3 por cento) estavam eutróficos, 41 (46,6 por cento) com excesso de peso e 41 (46,6 por cento) apresentavam risco elevado ou muito elevado para doenças cardiovasculares, apesar de 77 (87,5 por cento) não terem referido qualquer doença crônica não-transmissível. Quanto ao consumo alimentar, encontrou-se consumo diário de arroz, feijão, pão e margarina ou manteiga e baixo consumo de leite e derivados, frutas, verduras e legumes. As carnes bovina e de frango eram as mais consumidas. O café apareceu como bebida de maior consumo diário, seguido do suco artificial. As frituras e doces eram consumidos semanalmente por 34,9 por cento e 53,4 por cento dos ACS, respectivamente.

Conclusão:

O excesso de peso e a obesidade abdominal foram os principais acometimentos à saúde dos ACS, tendo ambos, estreita relação com suas práticas alimentares inadequadas; as quais também estavam relacionadas às suas características sócio-demográficas (AU)
Assuntos
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas / Doenças Negligenciadas Tema em saúde: Objetivo 3: Recursos humanos em saúde / Zoonoses Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Estado Nutricional / Pessoal de Saúde / Agentes Comunitários de Saúde / 36397 / Ingestão de Alimentos Idioma: Português Revista: Rev. bras. promoção saúde Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Casa de Saúde Santa Marcelina/Brasil / Faculdade Santa Marcelina/Brasil / Nutrio-Assessoria em Nutrição e Qualidade de Vida/Brasil
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados temática Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas / Doenças Negligenciadas Tema em saúde: Objetivo 3: Recursos humanos em saúde / Zoonoses Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Estado Nutricional / Pessoal de Saúde / Agentes Comunitários de Saúde / 36397 / Ingestão de Alimentos Idioma: Português Revista: Rev. bras. promoção saúde Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Casa de Saúde Santa Marcelina/Brasil / Faculdade Santa Marcelina/Brasil / Nutrio-Assessoria em Nutrição e Qualidade de Vida/Brasil
...