Your browser doesn't support javascript.
loading
Prevalência de excesso de peso e obesidade e fatores associados, Brasil, 2006 / Prevalence of overweight and obesity and associated factors, Brazil, 2006
Gigante, Denise Petrucci; Moura, Erly Catarina de; Sardinha, Luciana Monteiro Vasconcelos.
Afiliação
  • Gigante, Denise Petrucci; Universidade Federal de Pelotas. Departamento de Nutrição. Pelotas. Brasil
  • Moura, Erly Catarina de; Universidade de São Paulo. Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde. São Paulo. Brasil
  • Sardinha, Luciana Monteiro Vasconcelos; Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Coordenação Geral de Doenças Crônicas não Transmissíveis. Brasília. Brasil
Rev. saúde pública ; 43(supl.2): 83-89, nov. 2009. tab
Artigo em Português | LILACS-Express | CidSaúde - Cidades saudáveis | ID: cid-61457
Biblioteca responsável: BR1.1
Localização: BR67.1
ABSTRACT

OBJETIVO:

Estimar a prevalência de excesso de peso e obesidade e fatores associados.

MÉTODOS:

Foram analisados dados referentes a indivíduos com idade >18 anos entrevistados pelo sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (VIGITEL), realizado nas capitais brasileiras e Distrito Federal em 2006. Para 49.395 indivíduos, o índice de massa corporal (IMC) foi utilizado para identificar excesso de peso (IMC 25-30 kg/m²) e obesidade (IMC >30 kg/m²). Prevalência e razões de prevalência foram apresentadas segundo variáveis sociodemográficas, escolaridade e condição de saúde/comorbidades e auto-avaliação da saúde, estratificadas por sexo. Utilizou-se regressão de Poisson para análises brutas e ajustadas por idade.

RESULTADOS:

A prevalência de excesso de peso foi de 47 por cento para os homens e 39 por cento para as mulheres, e de obesidade, 11 por cento para ambos os sexos. Observou-se associação direta entre excesso de peso e escolaridade entre homens, e associação inversa entre mulheres. Obesidade foi mais freqüente entre os homens que viviam com companheira e não esteve associada com escolaridade ou cor da pele. As prevalências de excesso de peso e obesidade foram mais altas entre mulheres negras e que viviam com companheiro. A presença de diabetes, hipertensão arterial sistêmica e dislipidemias, bem como considerar sua saúde como regular ou ruim, também foram referidas pelos entrevistados com excesso de peso ou obesidade.

CONCLUSÕES:

Enquanto cerca de um de cada dois entrevistados foram classificados com excesso de peso, obesidade foi referida por um de cada dez entrevistados. Variáveis socioeconômicas e demográficas, bem como morbidades referidas, foram associadas com excesso de peso e obesidade. Esses resultados foram similares àqueles encontrados em outros estudos brasileiros.(AU)
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Aumento de Peso / Doença Crônica / Sistema de Vigilância de Fator de Risco Comportamental / Obesidade Tipo de estudo: Estudo de prevalência / Estudo de rastreamento Limite: Adulto / Feminino / Humanos / Masculino País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Revista: Rev. saúde pública Ano de publicação: 2009 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Ministério da Saúde/Brasil / Universidade Federal de Pelotas/Brasil / Universidade de São Paulo/Brasil
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados temática Base de dados: CidSaúde - Cidades saudáveis Assunto principal: Aumento de Peso / Doença Crônica / Sistema de Vigilância de Fator de Risco Comportamental / Obesidade Tipo de estudo: Estudo de prevalência / Estudo de rastreamento Limite: Adulto / Feminino / Humanos / Masculino País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Revista: Rev. saúde pública Ano de publicação: 2009 Tipo de documento: Artigo Instituição/País de afiliação: Ministério da Saúde/Brasil / Universidade Federal de Pelotas/Brasil / Universidade de São Paulo/Brasil
...