Your browser doesn't support javascript.
loading
Hiperprolactinemia e distúrbios psiquiátricos / Hyperprolactinemia and psychiatric disturbance
Oliveira, Miriam C; Pizarro, Cristina Bardou.
Afiliação
  • Oliveira, Miriam C; Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Fundaçäo Faculdade Federal de Ciências Médicas. BR
  • Pizarro, Cristina Bardou; Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Fundaçäo Faculdade Federal de Ciências Médicas. BR
Arq. neuropsiquiatr ; 58(3A): 671-6, set. 2000. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-269615
Biblioteca responsável: BR1.1
RESUMO
Sintomas psicológicos, especialmente ansiedade e depressao, têm sido associados à hiperprolactinemia. Para avaliar a presença desses sintomas, foram submetidos à entrevista através do Composed International Diagnostic Interview, seguido pela escala de Hamilton para depressao, 32 pacientes (5 homens e 27 mulheres) com hiperprolactinemia de várias etiologias e 16 normoprolactinêmicos. A prolactina sérica na época da avaliaçao variou de 28 a 180 ng/mL, sendo que 11 dos pacientes usavam bromocriptina. Detectou-se presença atual de distúrbios de ansiedade em 18 pacientes (56,2 por cento) e 5 controles (31,2 por cento), depressao em 10 pacientes (31,2 por cento) e 2 controles (12,5 por cento), distmia em duas pacientes e outros diagnósticos psiquiátricos em 6 pacientes (18,7 por cento). Os escores da depressao variaram entre 16 e 31 nos pacientes e foram 12 e 16 nos controles. A frequência de sintomas psiquiátricos como um todo, foi significativamente maior nos hiperprolactinêmicos (teste do qui-quadrado), mas a diferença nao foi significativa na análise isolada de ansiedade ou depressao. A hiperprolactinemia representa um fator de risco de 3,57 para depressao, 3,32 para ansiedade e 3,84 para outros sintomas psiquiátricos. Nao houve diferença significativa na frequência de sintomas psiquiátricos entre portadores ou nao de adenomas hipofisários e usuários ou nao de bromocriptina. Nao houve correlaçao (r= 0,07) entre a prolactina e a frequência de sintomas psiquiátricos. Conclui-se pela necessidade de atentar para a concomitância de hiperprolactinemia e distúrbios psiquiátricos, cujo reconhecimento permitirá abordagem terapêutica específica
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Hiperprolactinemia / Transtornos Mentais Limite: Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Português Revista: Arq. neuropsiquiatr Assunto da revista: Neurologia / Psiquiatria Ano de publicação: 2000 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre/BR

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Hiperprolactinemia / Transtornos Mentais Limite: Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Português Revista: Arq. neuropsiquiatr Assunto da revista: Neurologia / Psiquiatria Ano de publicação: 2000 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre/BR
...