Your browser doesn't support javascript.
loading
Fertilidade e longevidade de Spodoptera frugiperda (J. E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) em genótipos de milho / Fertility and longevity of Spodoptera frugiperda (J. E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae) in corn genotypes
Santos, Letícia Machado dos; Redaelli, Luiza Rodrigues; Diefenbach, Lúcia Maria Guedes; Efrom, Caio Fábio Stoffel.
Afiliação
  • Santos, Letícia Machado dos; Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Porto Alegre. BR
  • Redaelli, Luiza Rodrigues; Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Departamento de Fitossanidade. Porto Alegre. BR
  • Diefenbach, Lúcia Maria Guedes; Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Porto Alegre. BR
  • Efrom, Caio Fábio Stoffel; Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Agronomia. Porto Alegre. BR
Ciênc. rural ; 34(2): 345-350, mar.-abr. 2004. tab, graf
Artigo em Português | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-359720
Biblioteca responsável: BR1.1
RESUMO
Spodoptera frugiperda (J. E. SMITH) é uma das principais pragas da cultura do milho, entretanto, estudos a respeito de sua biologia, na cultura do milho doce, são raros. Assim, este trabalho objetivou avaliar o efeito dos genótipos ELISA, BR 400 (milhos doce) e BR PAMPA (milho comum) na fase reprodutiva de S. frugiperda no que tange aos períodos de pré-oviposição, oviposição e pós-reprodutivo, número de posturas/fêmea e de ovos/postura, viabilidade dos ovos, período de incubação, intervalo entre oviposições e longevidade. Em condições de laboratório (25 ± 1ºC; 70 ± 10 por cento UR; fotofase 12 horas), 60 lagartas/genótipo foram alimentadas com folhas dos três genótipos. A partir das pupas, foram formados 15, 20 e 24 casais em ELISA, BR 400 e BR PAMPA, respectivamente. Diariamente, registraram-se os números de posturas/fêmea e de ovos/postura. Não se verificou diferença entre os genótipos ELISA, BR 400 e BR PAMPA, respectivamente, em relação a período de pré-oviposição (4,78; 3,94; 3,94 dias); oviposição (7,55; 6,5; 6,11 dias) e pós-reprodutivo (4,87; 4,64; 5,5 dias); número de posturas/fêmea (6,33; 5,25; 4,88) e de ovos/postura (216,72; 215,03; 226,02); viabilidade dos ovos (59,02; 69,76; 60,81 por cento); intervalo entre oviposições (0,63; 0,86; 1,0 dias); longevidade dos machos (15,22; 13,62; 13,29 dias) e fêmeas (16,33; 14,06; 15,65 dias) com prole; e dos machos (19,17; 13,67; 13,86 dias) e fêmeas (16,43; 8,25; 19,37 dias) sem prole. O período de incubação dos ovos das fêmeas oriundas de lagartas mantidas em BR 400 foi mais longo do que o dos demais, sendo a diferença estatisticamente significativa.
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Idioma: Português Revista: Ciênc. rural Assunto da revista: Ciência / Saúde Ambiental Ano de publicação: 2004 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade Federal do Rio Grande do Sul/BR

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Idioma: Português Revista: Ciênc. rural Assunto da revista: Ciência / Saúde Ambiental Ano de publicação: 2004 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade Federal do Rio Grande do Sul/BR
...