Your browser doesn't support javascript.
loading
Depressão e criatividade na contemporaneidade: um estudo a partir de Freud e Winnicott / Depression and creativity in the present time: a study of work of Freud and Winnicott
Rio de Janeiro; s.n; 2003. 165 p.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-363284
Biblioteca responsável: BR433.1
Localização: BR433.1; T641
RESUMO
Este trabalho parte da constatação de um estilo de ser depressivo na contemporancidade que, por sua vez, aponta para uma dificuldade na constituição de sujeitos capazes de criar sentidos para a vida. Por que hoie, numa sociedade que, ao menos aparentemente, proporciona mais liberdade para o desenvolvimento da individualidade, muitos se vêem apáticos, fatigados? O estudo discute a hipótese levantada por Ehrenberg, segundo a qual a alteração no entendimento da psiquiatria sobre as depressões está ligada a uma mudança na experiência coletiva das pessoas que, primeiramente, eram capturadas tanto pelo assujeitamento disciplinar quanto pelo conflito, e que agora se vêem às voltas com a questão da responsabilidade e da ação. Trabalhando mais fundamentalmente no campo da psicanálise, pretendendo estabelecer uma correlação entre um tipo social e um tipo clínico e, finalmente, tencionando resgatar uma concepção que valoriza um ser potencialmente criativo, este estudo parte, fundamentalmente, das obras de Freud e Winnicott. Primeiramente, analisa a noção de melancolia nos textos freudianos, bem como o conceito de narcisismo foi por eles que os psicanalistas começaram a se debruçar sobre o tema da depressão. Ainda com relação a Freud, analisa sua concepção implícita de criatividade e constata que, nesse autor, a criatividade não é majoritariamente concebida como primordial, mas sim secundária à perda de objeto de investimento libidinal ou à nossa condição de seres desamparados. Neste sentido, Freud se refere mais à fantasia compensatória. Ainda neste plano da discussão, o conceito de "imaginário radical" de Castoriadis insere-se como contribuição à possibilidade de se conceber um processo de criação individual no qual há autonomia de pensamento e ação, logo sem determinismos corporais ou sociais. Nos últimos três capítulos, o pensamento de Winnicott se impôs como crucial. Ele inverte a relação entre depressão e criatividade, para nos conceber como ser es eminentemente criativos e se perguntar por que ocorrem bloqueios que instalam a depressão enquanto perda desta forma de viver. Winnicott concebe tanto um momento de indiferenciacão mãe-bebê (sem entidades abstratamente separadas), quanto enfatiza a importância da relação intersubjetiva. Seu modelo de entendimento da depressão, segundo o qual, sem contenção do outro, a criatividade primária não se transforma em experiência criativa, é também um eixo central desta tese que articula o individualismo...
Assuntos
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Psicanálise / Teoria Psicanalítica / Criatividade / Depressão / Teoria Freudiana Idioma: Português Ano de publicação: 2003 Tipo de documento: Tese

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Buscar no Google
Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Psicanálise / Teoria Psicanalítica / Criatividade / Depressão / Teoria Freudiana Idioma: Português Ano de publicação: 2003 Tipo de documento: Tese
...