Your browser doesn't support javascript.
loading
Aspectos da ecologia de flebotomíneos (DIptera: Psychodidae: Phlebotominae), no distrito de Posse, área de ocorrência de Leishmaniose Tegumentar Americana, no município de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro / Aspects of the ecology of flebotomíneos (Diptera: Psychodidae: Phlebotominae), in the district of Posse, area of occurrence of American Cutaneous Leishmaniasis, of the municipality of Petrópolis, State of Rio De Janeiro
Rio de Janeiro; s.n; 2003. 99 p. ilus, tab, graf.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-364909
Biblioteca responsável: BR15.1
Localização: BR15.1
RESUMO
No presente estudo foram investigados aspectos da ecologia de flebotomíneos, do distrito de Posse, município de Petrópolis, a 112 Km da cidade do Rio de Janeiro, estado do Rio de Janeiro. Nossa estação de trabalho foi estabelecida no Sítio Catavento, onde um caso humano de leishmaniose cutânea, por L. (V.) braziliensis foi diagnosticado. Durante três anos consecutivos foram realizadas coletas semanais no ambiente domiciliar e na mata, utilizando armadilha luminosa do tipo CDC e barraca de Shannon. Foram identificadas 20 espécies de flebotomíneos Brumptomyia brumpti, B. cardosoi, B.guimaraesi, Lutzomyia amarali, L. longipalpis, L. microps, L. costalimai, L. edwardsi, L. firmatoi, L. migonei, L. termitophila, L. tupynambai, L. fischeri, L. pessoai, L. lutziana, L. shannoni, L. barrettoi, L. intermedia, L. whitmani, L. lloydi and L. minasensis. L. intermedia e L. whitmani foram as espécies mais predominantes e as demais espécies ocorreram em baixas percentagens. Inicialmente, foi investigado a sazonalidade de Lutzomyia intermedia e Lutzomyia whitmani, ocorrendo simultaneamente na área de estudo. L. intermedia predominou no peridomicílio nos meses mais quentes do ano (dezembro, janeiro e fevereiro), enquanto L. whitmani teve maior densidade na plantação de banana e na mata e predominou nos meses mais frios (junho, julho e agosto), embora ambas tenham ocorrido durante todo o ano, revelando-se muito antropofílicas. Numa segunda avaliação, estudos sobre os ritmos de atividade desses dois vetores têm mostrado que L. intermedia é mais ativa no crepúsculo vespertino enquanto L. whitmani mostrou grande atividade à noite, sendo a principal espécie que picou o homem nas primeiras horas da manhã. Finalmente, foi analisada a correlação entre o ciclo lunar e a atividade dessas duas espécies, a qual demonstrou que as capturas com as armadilhas luminosas do tipo CDC atraem mais espécimes de L. intermedia e L.whitmani na lua nova, enquanto que capturas em isca humana foram mais bem sucedidas na lua cheia. Os resultados sugerem que L. intermedia e L. whitmani podem estar compartilhando do mecanismo de transmissão da LTA nesta área rural no Estado do Rio de Janeiro. Nosso estudo vem demonstrando que a LTA nas áreas rurais do Estado pode apresentar um perfil epidemiológico diferente do que tem sido apontado nos estudos realizados na periferia da cidade do Rio de Janeiro.
Assuntos
Buscar no Google
Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Psychodidae / Leishmania braziliensis / Brasil / Instalações Domiciliares / Leishmaniose Cutânea / Vetores de Doenças Tipo de estudo: Relato de casos / Estudo de rastreamento Limite: Humanos País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Ano de publicação: 2003 Tipo de documento: Tese

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Buscar no Google
Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Psychodidae / Leishmania braziliensis / Brasil / Instalações Domiciliares / Leishmaniose Cutânea / Vetores de Doenças Tipo de estudo: Relato de casos / Estudo de rastreamento Limite: Humanos País/Região como assunto: América do Sul / Brasil Idioma: Português Ano de publicação: 2003 Tipo de documento: Tese
...