Your browser doesn't support javascript.
loading
Avaliação do tempo de resposta eletromiográfica em atletas de voleibol e não atletas que sofreram entorse de tornozelo / Evaluation of the time for the electromyographic response in volleyball athletes and non-athletes who had ankle sprain
Pacheco, Adriana Moré; Vaz, Marco Aurélio; Pacheco, Ivan.
Afiliação
  • Pacheco, Adriana Moré; Clube Grêmio Náutico União. Porto Alegre. BR
  • Vaz, Marco Aurélio; UFRGS. ESEF. Porto Alegre. BR
  • Pacheco, Ivan; Clínica SOS ESPORTE. Porto Alegre. BR
Rev. bras. med. esporte ; 11(6): 325-330, nov.-dez. 2005. tab, ilus, graf
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-453714
Biblioteca responsável: BR14.1
RESUMO
A proposta deste estudo foi examinar o tempo de resposta eletromiográfica dos músculos fibulares, na inversão repentina do , em tornozelos com presença de lesão e saudáveis. Três grupos foram testados, um de atletas normais (grupo 1), um de atletas com história recente de entorse de tornozelo (grupo 2) e o outro de não atletas com história recente de entorse de tornozelo (grupo 3). Para cada sujeito dos três grupos, ambos os tornozelos foram testados. Os sujeitos que sofreram entorse de tornozelo (grupos 2 e 3) não apresentavam sintomas de lesão durante os últimos dois meses antes do teste. Uma plataforma capaz de produzir uma inversão repentina lateral de 20º do tornozelo no plano frontal simulava um evento de entorse de tornozelo. Eletrodos de eletromiografia de superfície foram colocados na pele sobre os músculos fibulares. Os tempos de resposta eletromiográfica dos músculos fibulares foram obtidos e comparados entre os grupos. Para o grupo 1, a média dos tempos de resposta eletromiográfica foi de 71ms para a perna direita e 69ms para a perna esquerda. Para o grupo 2, a média dos tempos de resposta eletromiográfica foi de 72ms para o tornozelo sem lesão e 74ms para o tornozelo com a lesão. Para o grupo 3, a média dos tempos de resposta eletromiográfica foi de 72ms para o tornozelo sem lesão e 73ms para o tornozelo com a lesão. Os resultados indicaram que não houve diferença estatisticamente significante entre as pernas direita e esquerda no grupo 1 e entre os tornozelos sem lesão e com lesão dos grupos 2 e 3 para os músculos fibulares. Os achados do presente estudo sugerem que a resposta eletromiográfica dos músculos fibulares, durante o deslocamento angular repentino do tornozelo, não foi influenciada pela entorse de tornozelo.
ABSTRACT
The purpose of this study was to examine the time for the electromyographic response of the fibular muscles in the sudden foot inversion in sprained and healthy ankles. Three groups of athletes were tested one composed by healthy at.
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Educação Física e Treinamento / Esportes / Entorses e Distensões / Exercício Físico / Traumatismos do Tornozelo / Terapia por Exercício Limite: Adolescente / Adulto / Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Português Revista: Rev. bras. med. esporte Assunto da revista: Medicina Esportiva Ano de publicação: 2005 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Clube Grêmio Náutico União/BR / Clínica SOS ESPORTE/BR / UFRGS/BR

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Educação Física e Treinamento / Esportes / Entorses e Distensões / Exercício Físico / Traumatismos do Tornozelo / Terapia por Exercício Limite: Adolescente / Adulto / Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Português Revista: Rev. bras. med. esporte Assunto da revista: Medicina Esportiva Ano de publicação: 2005 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Clube Grêmio Náutico União/BR / Clínica SOS ESPORTE/BR / UFRGS/BR
...