Your browser doesn't support javascript.
loading
Potencial role of stem cell therapy in type 1 diabetes mellitus: [review]
Couri, Carlos Eduardo Barra; Voltarelli, Júlio César.
Afiliação
  • Couri, Carlos Eduardo Barra; University of São Paulo. School of Medicine of Ribeirão Preto. Department of Clinical Medicine. Ribeirão Preto. BR
  • Voltarelli, Júlio César; University of São Paulo. School of Medicine of Ribeirão Preto. Department of Clinical Medicine. Ribeirão Preto. BR
Arq. bras. endocrinol. metab ; 52(2): 407-415, mar. 2008. ilus, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-481009
Biblioteca responsável: BR1.1
ABSTRACT
Type 1 diabetes mellitus is the result of the autoimmune response against pancreatic beta-cell(s). At the time of clinical diagnosis near 70 percent of beta-cell mass is been destroyed as a consequence of the auto-destruction that begins months or even years before the clinical diagnosis. Although marked reduction of chronic complications was seen after development and progression of insulin therapy over the years for type 1 diabetic population, associated risks of chronic end-organ damage and hypoglycemia still remain. Besides tight glucose control, beta-cell mass preservation and/or increase are known to be other important targets in management of type 1 diabetes as long as it reduces chronic microvascular complications in the eyes, kidneys and nerves. Moreover, the larger the beta-cell mass, the lower the incidence of hypoglycemic events. In this article, we discuss some insights about beta-cell regeneration, the importance of regulation of the autoimmune process and what is being employed in human type 1 diabetes in regard to stem cell repertoire to promote regeneration and/or preservation of beta-cell mass.
RESUMO
O diabetes melito tipo 1 (DM1) é o resultado de uma resposta auto-imune contra as células-beta pancreáticas. Por ocasião do diagnóstico clínico do DM1, aproximadamente 70 por cento da massa de células-beta foram destruídas como conseqüência de uma autodestruição que se iniciou há anos ou meses antes dos primeiros sinais da doença. Embora a redução acentuada das complicações crônicas na população com DM1 foi observada após o desenvolvimento e evolução da insulinoterapia, os riscos associados às lesões dos órgãos-alvo e hipoglicemia persistem. Além do controle intensivo da glicemia, a preservação e/ou o aumento da massa de células-beta são reconhecidos como alvos importantes no tratamento do DM1. Isto vem associado à redução das complicações crônicas microvasculares na retina, rins e nervos e a menor incidência de eventos hipoglicêmicos. Neste artigo, discutimos alguns aspectos da regeneração das células-beta pancreáticas, a importância da regulação do processo auto-imune e o que está sendo empregado no DM1 humano com relação ao repertório das células-tronco nesse sentido.
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Regeneração / Transplante de Células-Tronco / Diabetes Mellitus Tipo 1 / Células Secretoras de Insulina Limite: Adulto / Criança / Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Inglês Revista: Arq. bras. endocrinol. metab Assunto da revista: Endocrinologia / Metabolismo Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: University of São Paulo/BR

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Regeneração / Transplante de Células-Tronco / Diabetes Mellitus Tipo 1 / Células Secretoras de Insulina Limite: Adulto / Criança / Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Inglês Revista: Arq. bras. endocrinol. metab Assunto da revista: Endocrinologia / Metabolismo Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: University of São Paulo/BR
...