Your browser doesn't support javascript.
loading
Equity in health care and institutional trust: a communitarian view
Mooney, Gavin; Houston, Shane.
Afiliação
  • Mooney, Gavin; Curtin University. Social and Public Health Economics Research Group. Perth. AU
  • Houston, Shane; Curtin University. Social and Public Health Economics Research Group. Perth. AU
Cad. saúde pública ; 24(5): 1162-1167, maio 2008.
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-481467
Biblioteca responsável: BR526.1
ABSTRACT
Communitarianism acknowledges and values, and not just instrumentally, the bonds that unite and identify communities. Communitarians also value community per se. This paper argues that trust is likely to be stronger in communities where these bonds are greater. Equity in health care is a social phenomenon. In health care, it is apparent that more communitarian societies, such as Scandinavia and within Aboriginal Australia, are likely to value more equity-orientated systems. Where, as in the latter case, this desire for equity takes place against a background of the powerful dominant (white) society treating the minority (black) society as dependent, Aboriginal trust in Australian society and in its public institutions is eroded. Lack of trust and inequity then come to the fore. This paper discusses institutional trust as a facilitator of equity in health care in the specific context of Indigenous health. The example used is Australian Aboriginal health but the principles would apply to other Indigenous populations as in for example South America.
RESUMO
O comunitarismo reconhece e valoriza (e não apenas no sentido instrumental) os elos que unem as comunidades e com os quais se identificam. Além disso, os comunitaristas também valorizam a comunidade em si. O artigo propõe que a confiança tende a ser maior naquelas comunidades onde os elos são mais sólidos. A eqüidade na assistência à saúde é um fenômeno social. Nos cuidados de saúde, fica evidente que sociedades mais comunitárias, tais como na Escandinávia ou entre os povos aborígines da Austrália, tendem a valorizar sistemas mais orientados para a eqüidade. No caso dos aborígines, o desejo de eqüidade aparece contra o pano de fundo de uma sociedade dominante poderosa (branca) que trata a minoria (negra) como dependente, levando à erosão da confiança dos aborígines na sociedade e nas instituições públicas australianas. Nesse contexto predominam a desconfiança e a falta de eqüidade. O artigo discute a confiança institucional como facilitador da eqüidade na assistência à saúde no contexto específico da saúde indígena. O exemplo utilizado é a saúde dos aborígines australianos, mas os princípios se aplicam a outras populações indígenas, como as da América do Sul.
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas Tema em saúde: Objetivo 11 Desigualdades e iniquidades na saúde Base de dados: LILACS Assunto principal: Relações Comunidade-Instituição / Equidade em Saúde / Assistência à Saúde / Saúde de Populações Indígenas Idioma: Inglês Revista: Cad. saúde pública Assunto da revista: Saúde Pública / Toxicologia Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Austrália Instituição/País de afiliação: Curtin University/AU

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Contexto em Saúde: Agenda de Saúde Sustentável para as Américas Tema em saúde: Objetivo 11 Desigualdades e iniquidades na saúde Base de dados: LILACS Assunto principal: Relações Comunidade-Instituição / Equidade em Saúde / Assistência à Saúde / Saúde de Populações Indígenas Idioma: Inglês Revista: Cad. saúde pública Assunto da revista: Saúde Pública / Toxicologia Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Austrália Instituição/País de afiliação: Curtin University/AU
...