Your browser doesn't support javascript.
loading
Tratamento artroscópico da instabilidade anterior traumática do ombro: resultados a longo prazo e fatores de risco / Arthroscopic treatment of traumatic anterior instability of the shoulder: long term results and risk factors
Godinho, Glaydson Gomes; França, Flávio de Oliveira; Freitas, José Márcio Alves; Menezes, Cristiano Magalhães; Freire, Saulo Garzedim; Wanderley, Andrey Leal; Santos, Luís Guilherme de Castro.
Afiliação
  • Godinho, Glaydson Gomes; Hospital Ortopédico. Grupo de Ombro. Belo Horizonte. BR
  • França, Flávio de Oliveira; Hospital Ortopédico. Grupo de Ombro. Belo Horizonte. BR
  • Freitas, José Márcio Alves; Hospital Ortopédico. Grupo de Ombro. Belo Horizonte. BR
  • Menezes, Cristiano Magalhães; Hospital Ortopédico. Belo Horizonte. BR
  • Freire, Saulo Garzedim; Hospital Ortopédico. Belo Horizonte. BR
  • Wanderley, Andrey Leal; Hospital Ortopédico. Grupo de Ombro. Belo Horizonte. BR
  • Santos, Luís Guilherme de Castro; Hospital Ortopédico. Grupo de Ombro. Belo Horizonte. BR
Rev. bras. ortop ; 43(5): 157-166, maio 2008. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-484960
Biblioteca responsável: BR26.1
RESUMO

OBJETIVO:

Avaliar os resultados de longo prazo e fatores de risco no tratamento cirúrgico por via artroscópica da instabilidade anterior traumática do ombro.

MÉTODOS:

Estudo retrospectivo de 302 pacientes (314 ombros). Seguimento de 24 a 140 meses, média de 76,5 meses. Avaliação através de exame físico e radiográfico. Classificação de resultados segundo os critérios da UCLA e Carter-Rowe. Análise estatística através de programa Epi Info e testes t de Student e exato de Fisher.

RESULTADOS:

Observado índice de recidivas em 8,9 por cento dos ombros. Segundo a UCLA, excelentes/bons resultados observados em 97,6 por cento e, regulares/ruins em 2,4 por cento dos ombros. Segundo Rowe, excelentes/bons resultados em 89,2 por cento e regulares/ruins em 10,8 por cento dos ombros. Observada significância (p = 0,013) entre uso de materiais adequados, curva de aprendizado e índice de recidivas. História de convulsões (p = 0,0039) e prática de esportes de contato (p = 0,004) tiveram forte correlação com recidivas. Não se evidenciou correlação entre lesão de Bankart (p = 0,546), lesão de Hill-Sachs (p = 0,62) e recidivas, considerando-se lesões ósseas menores que 25 por cento da glenóide e cabeça umeral, respectivamente.

CONCLUSÕES:

1) Há correlação estatisticamente identificada entre o índice de recidiva da instabilidade anterior traumática do ombro e a) convulsões no pós-operatório; b) prática de esportes de contato; c) presença das lesões de Bankart com Hill-Sachs caracterizadas por 25 por cento ou mais de lesão óssea da glenóide ou da cabeça umeral, respectivamente. 2) Parece haver correlação entre o não reparo da lesão SLAP e o índice de recidiva da instabilidade anterior traumática do ombro.
ABSTRACT

OBJECTIVE:

To evaluate the long term results and risk factors in the surgical arthroscopic treatment of the traumatic anterior instability of the shoulder.

METHODS:

Retrospective study of 302 patients (314 shoulders) 24 to 140 month follow-up, with a mean of 76.5 months. Evaluation performed in clinical and radiological exams. Results classified according to the UCLA and Carter-Rowe. Statistical analysis with the Epi Info program, T-student calculations, and Fisher Exact Test.

RESULTS:

A rate of 8.9 percent of recurrence was seen in the shoulders. According to UCLA classification, excellent/good results were seen in 97.6 percent, and regular/poor results, in 2.4 percent of the shoulders. According to Rowe classification, excellent/good results were seen in 89.2 percent, and regular/poor results, in 10.8 percent of the shoulders. There was significance (p = 0.013) among the use of adequate materials, learning curve, and recurrence rate. A history of seizures (p = 0.0039) and the practice of contact sports (p = 0.004) had a marked correlation with recurrence. No correlation was seen between the Bankart lesion (p = 0.546), the Hill-Sachs lesion (p = 0,62) and recurrences, considering bone lesions smaller than 25 percent of the glenoid and humeral head, respectively.

CONCLUSIONS:

1. There is a statistically identified correlation between the rate of recurrence of traumatic anterior stability of the shoulder and a) seizures in the post-operative period; b) practice of contact sports; c) presence of Bankart lesions with Hill-Sachs characterized by 25 percent or more of bone lesion of the glenoid or of the humeral head, respectively. 2. There seems to be a correlation between the non-repair of the SLAP lesion and the recurrence rate of traumatic anterior stability of the shoulder.
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Artroscopia / Recidiva / Articulação do Ombro / Parafusos Ósseos / Técnicas de Sutura / Instabilidade Articular Limite: Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Português Revista: Rev. bras. ortop Assunto da revista: Ortopedia Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Hospital Ortopédico/BR

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Artroscopia / Recidiva / Articulação do Ombro / Parafusos Ósseos / Técnicas de Sutura / Instabilidade Articular Limite: Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Português Revista: Rev. bras. ortop Assunto da revista: Ortopedia Ano de publicação: 2008 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Hospital Ortopédico/BR
...