Your browser doesn't support javascript.
loading
The relationship between the severity of apraxia of speech and working memory / Relação entre gravidade da apraxia de fala e memória operacional
Ortiz, Karin Zazo; Martins, Fernanda Chapchap.
Afiliação
  • Ortiz, Karin Zazo; Federal University of São Paulo. Department of Speech Pathology and Audiology. São Paulo. BR
  • Martins, Fernanda Chapchap; Federal University of São Paulo. Department of Speech Pathology and Audiology. São Paulo. BR
Dement. neuropsychol ; 4(1)mar. 2010.
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-542655
Biblioteca responsável: BR15.3
ABSTRACT
Based on previously observed relationships between working memory (WM) and speech, the current study investigated the relationship between degree of oral apraxia (AOS) and WM capacity.

Methods:

This study involved assessment and classification of degree of apraxia of speech in 22 apraxic participants and evaluation of WM capacity using digit span and word-list repetition tests. Both tests were able to assess the phonoarticulatory loop, while the Rey Auditory Verbal Learning Test investigated the phonoarticulatory loop and the episodic buffer.

Results:

Independently from the degree of apraxia of speech, all of participants presented compromise in WM.

Conclusions:

The data presented might suggest that individuals with AOS typically have WM impairment, but it is still not clear if the severity of AOS is related to WM capacity. Future studies could verify the relationship between the severity of apraxia and the severity of WM deficits.
RESUMO
Considerando-se que estudos anteriores observaram correlações entre a memória operacional e a apraxia de fala, o objetivo do presente estudo foi o de verificar se há correlação entre a gravidade da apraxia de fala e a alteração da memória operacional.

Métodos:

Foram avaliados 22 pacientes apráxicos. Todos os participantes foram submetidos à avaliação da apraxia de fala. Para investigar a memória operacional, foram aplicados o teste de span de dígitos na ordem direta e inversa, um teste de repetição de palavras longas e curtas e o Rey Auditory Verbal Learning Test, que investiga, além da alça articulatória, o buffer episódico.

Resultados:

Independentemente do grau da apraxia de fala, todos os participantes tiveram comprometimento da memória operacional. No entanto, não foi observada correlação entre o grau da apraxia de fala e a presença de comprometimento da memória operacional.

Conclusões:

Os dados sugerem que indivíduos com apraxia de fala apresentam um déficit na memória operacional. No entanto, novos estudos devem investigar a correlação entre diferentes gravidades de apraxia de fala e diferentes graus de comprometimento da memória operacional.
Assuntos
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Apraxias / Transtornos da Articulação / Memória Limite: Humanos Idioma: Português Revista: Dement. neuropsychol Assunto da revista: NEUROCIENCIAS / Neurologia / Psicologia / Psiquiatria Ano de publicação: 2010 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Federal University of São Paulo/BR

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Apraxias / Transtornos da Articulação / Memória Limite: Humanos Idioma: Português Revista: Dement. neuropsychol Assunto da revista: NEUROCIENCIAS / Neurologia / Psicologia / Psiquiatria Ano de publicação: 2010 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Federal University of São Paulo/BR
...