Your browser doesn't support javascript.
loading
Intramedullary tumors in children: analysis of 24 operated cases / Tumores intramedulares em crianças: análise de 24 casos operados
Gepp, Ricardo de Amoreira; Couto, Jose Mauro Cardoso; Silva, Maria Dorvalina da; Silva, Régis Tavares da; Neri, Eidmar Augusto.
Afiliação
  • Gepp, Ricardo de Amoreira; Sarah Network of Rehabilitation Hospitals. Brasília. BR
  • Couto, Jose Mauro Cardoso; Sarah Network of Rehabilitation Hospitals. Brasília. BR
  • Silva, Maria Dorvalina da; Sarah Network of Rehabilitation Hospitals. Brasília. BR
  • Silva, Régis Tavares da; Sarah Network of Rehabilitation Hospitals. Brasília. BR
  • Neri, Eidmar Augusto; Sarah Network of Rehabilitation Hospitals. Brasília. BR
Arq. neuropsiquiatr ; 68(3): 396-399, June 2010. ilus, tab
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-550273
Biblioteca responsável: BR1.1
ABSTRACT
Intramedullary tumors are rare. The authors reviewed 24 cases operated between 1996 and 2006. The study assessed the clinical characteristics and surgical results based upon the neurological function.

METHOD:

Medical records of patients with intramedullary astrocytoma and ependymoma were reviewed. The minimal follow up time was 6 months and, at the end of this period, a comparative analysis of the neurological function was performed based using the McCormick scale score.

RESULTS:

Most patients had astrocytoma (75 percent). Male gender was more prevalent (58.3 percent). The most common type of tumor was graded as I or II, and in three cases these were malignant. The total resection of the tumor was achieved in 20.8 percent of the cases. The statistical analysis did not show a statistically significant difference between preoperative and postoperative grades at McCormick scale.

CONCLUSION:

The authors concluded that microsurgery to intramedullary tumors did not significantly alter the neurological function after six months.
RESUMO
Os tumores intramedulares são doenças raras. Os autores analisaram 24 casos operados entre 1996 e 2006. O estudo analisou as características clínicas e o resultado da cirurgia quanto à função neurológica.

MÉTODO:

Foram analisados pacientes com astrocitomas e ependimomas intramedulares. O tempo mínimo de acompanhamento foi de 6 meses e ao final deste período foi realizada a avaliação comparativa da variação do estado neurológico baseado na escala de McCormick.

RESULTADOS:

A maioria dos pacientes era de astrocitoma (75 por cento). O gênero masculino foi mais prevalente (58,3 por cento). A maioria dos tumores era de grau I ou II, 3 casos eram malignos. A ressecção total do tumor ocorreu em 20,8 por cento dos casos. A avaliação estatística demonstrou que não houve diferença significativa entre o estado neurológico na escala de McCormick pré-operatória e pós-operatória.

CONCLUSÕES:

Os autores concluem que a microcirurgia para ressecção dos tumores intramedulares não ocasionou variação funcional significativa nos pacientes após seis meses da cirurgia.
Assuntos

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Astrocitoma / Neoplasias da Medula Espinal / Ependimoma Limite: Adolescente / Criança / Criança, pré-escolar / Feminino / Humanos / Lactente / Masculino Idioma: Inglês Revista: Arq. neuropsiquiatr Assunto da revista: Neurologia / Psiquiatria Ano de publicação: 2010 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Sarah Network of Rehabilitation Hospitals/BR
Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Astrocitoma / Neoplasias da Medula Espinal / Ependimoma Limite: Adolescente / Criança / Criança, pré-escolar / Feminino / Humanos / Lactente / Masculino Idioma: Inglês Revista: Arq. neuropsiquiatr Assunto da revista: Neurologia / Psiquiatria Ano de publicação: 2010 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Sarah Network of Rehabilitation Hospitals/BR
...