Your browser doesn't support javascript.
Utilidade clínica da angiografia coronária e da ressonância nuclear magnética no diagnóstico da cardiomiopatia isquêmica / Clinical use of coronary angiography and magnetic resonance imaging in the diagnosis of ischemic cardiomyopathy
Rev. bras. cardiol. invasiva ; 21(3): 276-280, 2013. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-690661
Biblioteca responsável: BR44.1
RESUMO

INTRODUÇÃO:

O diagnóstico da cardiomiopatia isquêmica é frequentemente difícil. A angiografia coronária (AC) é limitada, por ser invasiva e de avaliação exclusivamente anatômica. A ressonância nuclear magnética cardíaca (RNM) com realce tardio pelo gadolínio (RTG) pode mensurar padrões de fibrose miocárdica ocasionados pela isquemia. Porém, o RTG pode não detectar isquemia que não resultou em fibrose. Assim, uma avaliação clínica meticulosa pelo cardiologista parece ser a maneira mais eficaz para definir o diagnóstico. O objetivo deste estudo foi avaliar a AC e o RTG como métodos complementares para o diagnóstico de cardiomiopatia isquêmica em pacientes com insuficiência cardíaca sistólica sem etiologia definida.

MÉTODOS:

Pacientes com insuficiência cardíaca sistólica, fração de ejeção do ventrículo esquerdo < 45% e etiologia indefinida após avaliação não invasiva inicial foram submetidos à AC e à RNM com RTG para definição etiológica. A análise dos casos por dois cardiologistas foi o padrão-ouro para o diagnóstico de cardiomiopatia isquêmica.

RESULTADOS:

Foram incluídos 24 pacientes. A sensibilidade para detecção de cardiomiopatia isquêmica foi de 0,45 para AC vs. 0,81 do RTG. A especificidade da AC foi de 1,0 vs. 0,84 do RTG. O valor preditivo positivo foi de 1,0 vs. 0,81, e o valor preditivo negativo foi 0,68 vs. 0,84 para AC e do RTG, respectivamente. A acurácia do RTG foi superior a da AC (0,83 vs. 0,75).

CONCLUSÕES:

O RTG foi mais sensível do que a AC na avaliação etiológica da disfunção ventricular, enquanto a AC foi mais específica. A definição de cardiomiopatia isquêmica utilizando cada um dos métodos em separado apresentou limitações.
ABSTRACT

BACKGROUND:

The diagnosis of ischemic cardiomyopathy is frequently difficult. Coronary angiography (CA) is limited because it is invasive and the evaluation is exclusively anatomic. Cardiac magnetic resonance imaging (MRI) with late gadolinium enhancement (LGE) measures patterns of myocardial fibrosis caused by ischemia. However, LGE does not detect ischemia that does not result in fibrosis. Thus, a thorough clinical evaluation by a cardiologist seems to be the most effective option for diagnosis. The aim of this study was to evaluate CA and LGE as complementary methods for the diagnosis of ischemic cardiomyopathy in patients with systolic heart failure of unknown etiology.

METHODS:

Patients with systolic heart failure, left ventricle ejection fraction < 45% and unknown etiology after initial non-invasive evaluation were submitted to CA and MRI with LGE to define the etiology of the disease. Patient evaluation by two cardiologists was the gold standard for the diagnosis of ischemic cardiomyopathy.

RESULTS:

Twenty-four patients were included. The sensitivity to detect ischemic cardiomyopathy was 0.45 for CA vs. 0.81 for LGE. The specificity was 1.0 for CA vs. 0.84 for LGE. The positive predictive value was 1.0 vs. 0.81 and the negative predictive value was 0.68 vs. 0.84 for CA and LGE, respectively. LGE accuracy was superior to CA accuracy (0.83 vs. 0.75).

CONCLUSIONS:

LGE was more sensitive than CA to evaluate the etiology of ventricular dysfunction, whereas CA was more specific. The diagnosis of ischemic cardiomyopathy using each one of the methods separately presented limitations.
Assuntos

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Imagem por Ressonância Magnética / Angiografia Coronária / Isquemia Miocárdica / Insuficiência Cardíaca Sistólica / Gadolínio Aspecto clínico: Diagnóstico / Etiologia / Predição Limite: Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Português Revista: Rev. bras. cardiol. invasiva Assunto da revista: Cardiologia / CIRURGIA GERAL Ano de publicação: 2013 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade de São Paulo/BR