Your browser doesn't support javascript.
loading
What are the risk factors for readmission in patients with an ileostomy? / Quais sao os fatores de risco para readmissao em pacientes com ileostomia?
Campos-Lobato, Luiz Felipe de; Alves-Ferreira, Patricia Cristina; Oliveira, Paulo Goncalves de; Sousa, Joao Batista de; Vogel, Jon D..
Afiliação
  • Campos-Lobato, Luiz Felipe de; Universidade de Brasilia. Escola de Medicina. Division of Coloproctology. Brasilia. BR
  • Alves-Ferreira, Patricia Cristina; Universidade de Brasilia. Escola de Medicina. Division of Coloproctology. Brasilia. BR
  • Oliveira, Paulo Goncalves de; Universidade de Brasilia. Escola de Medicina. Division of Coloproctology. Brasilia. BR
  • Sousa, Joao Batista de; Universidade de Brasilia. Escola de Medicina. Division of Coloproctology. Brasilia. BR
  • Vogel, Jon D.; Universidade de Brasilia. Escola de Medicina. Division of Coloproctology. Brasilia. BR
J. coloproctol. (Rio J., Impr.) ; 33(4): 203-209, Nov-Dec/2013. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | LILACS | ID: lil-697798
Biblioteca responsável: BR1.1
ABSTRACT

PURPOSE:

the aim of this study was to identify the risk factors for readmission among patients submitted to colorectal surgery.

METHODS:

a single-center colorectal quality-assessment database was queried for patients undergoing colorectal procedures with ileostomy during 2009. The sample was divided into readmitted vs. non-readmitted. Readmission was defined as admission within the first 30 days after the index procedure. Groups were compared by pre, intra and postoperative characteristics. A multivariate analysis was performed to identify the risk factors for readmission.

RESULTS:

the query returned 496 patients, [267 (54%) males, median age 48 years (IQR 34-60)]. Eighty-three (17%) were readmitted; 296 patients (60%), were operated due to inflammatory bowel disease, 89 (18%) for cancer, 16 (3%) for diverticular disease and 95 (19%) for other diagnosis. The three most common procedures were total proctocolectomy with ileal pouch-anal anastomosis (IPAA) in 103 patients (21%), total colectomy with end ileostomy in 117 (24%) and small bowel resections (including enterocutaneous fistula takedown and J-pouch excision) in 149 (30%). The following variables were significantly more common in readmitted patients current smoking (24% vs. 14%, p = 0.02), postoperative DVT/PE (10% vs. 4%, p = 0.04), wound infection (20% vs. 10% p = 0.01), sepsis (22% vs. 8% p < 0.001) and organ or space surgical site infection (OrgSSI) (35% vs. 5%, p < 0.001). Postoperative OrgSSI was the only independent factor associated with readmission in a multivariate analysis (p < 0.001).

CONCLUSION:

colorectal surgeons should be alert for OrgSSI when facing an ileostomy patient readmitted after a colorectal procedure. .
RESUMO

OBJETIVO:

o objetivo deste estudo foi identificar os fatores de risco para readmissão em pacientes submetidos à cirurgia colorretal.

MÉTODOS:

um banco de dados de avaliação da qualidade colorretal em um único centro foi consultado para pacientes submetidos à procedimentos colorretais com ileostomia em 2009. A amostra foi dividida em readmitidos versus não readmitidos. A readmissão foi definida como a admissão dentro dos primeiros 30 dias após o procedimento índice. os grupos foram comparados em relação à características pré, intra e pós-operatórias. A análise multivariada foi realizada para identificar os fatores de risco para readmissão.

RESULTADOS:

a consulta identificou 496 pacientes, [267 (54%) do sexo masculino, idade média de 48 anos (VIQ 34 -60)]. oitenta e três (17%) foram readmitidos; 296 pacientes (60%) foram operados por doença inflamatória intestinal, 89 (18%) por câncer, 16 (3%) por doença diverticular e 95 (19%) devido a outro diagnóstico. os três procedimentos mais comuns foram proctocolectomia total com anastomose anal e bolsa ileal (IPAA) em 103 pacientes (21%), colectomia total com ileostomia final em 117 (24%) e ressecções do intestino delgado (incluindo a remoção de fístula enterocutânea e excisão da bolsa em J) em 149 (30%). As seguintes variáveis foram significativamente mais comuns em pacientes readmitidos tabagismo atual (24 % vs. 14%, p = 0,02), TVP/EP pós-operatório (10% vs. 4 %, p = 0,04), infecção da ferida cirúrgica (20 % vs. 10% p = 0,01), sepse (22% vs. 8%, p < 0,001) e infecção de órgão/espaço do sítio cirúrgico (IOSC) (35 % vs. 5%, p < 0,001). A infecção do IOSC pós-operatório foi o único fator independente associado com ...

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Idioma: Inglês Revista: J. coloproctol. (Rio J., Impr.) Assunto da revista: Gastroenterologia Ano de publicação: 2013 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade de Brasilia/BR

Similares

MEDLINE

...
LILACS

LIS


Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Idioma: Inglês Revista: J. coloproctol. (Rio J., Impr.) Assunto da revista: Gastroenterologia Ano de publicação: 2013 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade de Brasilia/BR
...