Your browser doesn't support javascript.
loading
Orotracheal intubation and temporomandibular disorder: a longitudinal controlled study / Intubação orotraqueal e disfunção temporomandibular: estudo longitudinal controlado
Battistella, Cláudia Branco; Machado, Flávia Ribeiro; Juliano, Yara; Guimarães, Antônio Sérgio; Tanaka, Cássia Emi; Garbim, Cristina Talá de Souza; Fonseca, Paula de Maria da Rocha; Sanches, Monique Lalue.
Afiliação
  • Battistella, Cláudia Branco; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
  • Machado, Flávia Ribeiro; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
  • Juliano, Yara; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
  • Guimarães, Antônio Sérgio; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
  • Tanaka, Cássia Emi; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
  • Garbim, Cristina Talá de Souza; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
  • Fonseca, Paula de Maria da Rocha; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
  • Sanches, Monique Lalue; Universidade Federal de Sao Paulo. Escola Paulista de Medicina. Morphology and Genetics Department. São Paulo. BR
Rev. bras. anestesiol ; 66(2): 126-132, Mar.-Apr. 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS | ID: lil-777418
Biblioteca responsável: BR1.1
ABSTRACT
ABSTRACT BACKGROUND AND

OBJECTIVES:

To determine the incidence of signs and symptoms of temporomandibular disorder in elective surgery patients who underwent orotracheal intubation.

METHODS:

This was a longitudinal controlled study with two groups. The study group included patients who underwent orotracheal intubation and a control group. We used the American Academy of Orofacial Pain questionnaire to assess the temporomandibular disorder signs and symptoms one-day postoperatively (T1), and the patients' baseline status prior to surgery (T0) was also recorded. The same questionnaire was used after three months (T2). The mouth opening amplitude was measured at T1 and T2. We considered a pvalue of less than 0.05 to be significant.

RESULTS:

We included 71 patients, with 38 in the study group and 33 in the control. There was no significant difference between the groups in age (study group 66.0 [52.5-72.0]; control group 54.0 [47.0-68.0]; p = 0.117) or in their belonging to the female gender (study group 57.9%; control group 63.6%; p = 0.621). At T1, there were no statistically significant differences between the groups in the incidence of mouth opening limitation (study group 23.7% vs. control group 18.2%;p = 0.570) or in the mouth opening amplitude (study group 45.0 [40.0-47.0] vs. control group 46.0 [40.0-51.0];p = 0.278). At T2 we obtained similar findings. There was no significant difference in the affirmative response to all the individual questions in the American Academy of Orofacial Pain questionnaire.

CONCLUSIONS:

In our population, the incidence of signs and symptoms of temporomandibular disorder of muscular origin was not different between the groups.
RESUMO
RESUMO JUSTIFICATIVA E

OBJETIVOS:

Determinar a incidência de sinais e sintomas de disfunção temporomandibular (DTM) em pacientes de cirurgia eletiva submetidos à intubação orotraqueal.

MÉTODOS:

Estudo longitudinal controlado com dois grupos. O grupo de estudo incluiu pacientes que foram submetidos à intubação orotraqueal e um grupo controle. Usamos o questionário da Academia Americana de Dor Orofacial (AAOP) para avaliar os sinais e sintomas da DTM no primeiro dia de pós-operatório (T1) e os estados basais dos pacientes antes da cirurgia (T0) também foram registrados. O mesmo questionário foi usado após três meses (T2). A amplitude da abertura bucal foi medida em T1 e T2. Consideramos um valor p inferior a 0,05 como significativo.

RESULTADOS:

No total, 71 pacientes foram incluídos, com 38 pacientes no grupo de estudo e 33 no grupo controle. Não houve diferença significativa entre os grupos quanto à idade (grupo de estudo 66 [52,5-72]; grupo controle 54 [47-68], p = 0,117) ou gênero feminino (grupo de estudo 57,9%; grupo controle 63,6%, p = 0,621). No T1, não foram encontradas diferenças estatisticamente significativas entre os grupos quanto à incidência de limitação de abertura bucal (grupo de estudo 23,7% vs. grupo controle 18,2%, p = 0,570) ou amplitude de abertura bucal (grupo de estudo 45 [40-47]vs. grupo controle 46 [40-51], p = 0,278). Em T2, os resultados obtidos foram semelhantes. Não houve diferença significativa na resposta afirmativa a todas as perguntas individuais do questionário AAOP.

CONCLUSÕES:

Em nossa população, a incidência de sinais e sintomas de DTM de origem muscular não foi diferente entre os grupos.
Assuntos


Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Dor Facial / Transtornos da Articulação Temporomandibular / Intubação Intratraqueal Limite: Idoso / Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Inglês Revista: Rev. bras. anestesiol Assunto da revista: Anestesiologia Ano de publicação: 2016 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade Federal de Sao Paulo/BR

Texto completo: Disponível Coleções: Bases de dados internacionais Base de dados: LILACS Assunto principal: Dor Facial / Transtornos da Articulação Temporomandibular / Intubação Intratraqueal Limite: Idoso / Feminino / Humanos / Masculino Idioma: Inglês Revista: Rev. bras. anestesiol Assunto da revista: Anestesiologia Ano de publicação: 2016 Tipo de documento: Artigo País de afiliação: Brasil Instituição/País de afiliação: Universidade Federal de Sao Paulo/BR
...