Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Concordância e completude dos dados sobre nascidos vivos e óbitos infantis / Concordancia y completitud de los datos sobre nacidos vivos y defunciones infantiles / Agreement and completeness of data on live births and infantdeaths

Romaguera, Amanda de Ataídes; Guimarães, Aline Luzia Sampaio; Oliveira, Conceição Maria de; Cardoso, Mirian Domingos; Bonfim, Cristine Vieira do.
Acta Paul. Enferm. (Online); 33: e, 2020. tab, graf
Artigo em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: biblio-1088515
Resumo Objetivo Avaliar a qualidade dos dados (concordância e completude) dos óbitos infantis no Sistema de Informações de Mortalidade (SIM) e no Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (Sinasc), Recife, Pernambuco, Brasil. Métodos Estudo transversal com dados de óbitos infantis capturados no Sinasc e no SIM. Para os óbitos, foi utilizado o período 2013-2016 e para os nascidos vivos, o de 2012-2016. Foi utilizado o linkage determinístico. Calculou-se a porcentagem de incompletude de 10 variáveis comuns a ambas as bases, antes e após a vinculação das bases de dados. A concordância foi avaliada pelo índice Kappa para variáveis qualitativas, e pelo coeficiente de correlação intraclasse (ICC do inglês intraclass correlation coefficient) para variáveis quantitativas. Resultados Foi possível relacionar 96,64% dos óbitos às respectivas declarações de nascidos vivos. Todas as variáveis analisadas foram classificadas como excelentes (menos de 5% de incompletude), antes e após a vinculação das bases de dados. No Sinasc, a maior incompletude ocorreu na variável duração da gestação (1,55%), e no SIM, no número de natimortos (2,89%). A concordância foi classificada como quase perfeita para todas as variáveis qualitativas (Kappa entre 0,8 e 1). Todas as variáveis quantitativas foram classificadas como excelentes (ICC maior que 0,75). Conclusão Apesar dos avanços na qualidade do SIM e do Sinasc, ainda houve problemas de completude das variáveis, principalmente no SIM. A vinculação das bases de dados contribuiu para aprimorar as informações para a análise de óbitos infantis pelos serviços de saúde e para pesquisa. O linkage uma técnica de fácil acesso e baixo custo operacional, que pode ser incluída na rotina de vigilância da mortalidade infantil para a melhoria contínua das informações.