Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Condicionantes da amamentação exclusiva na perspectiva materna / Conditioning factors for exclusive breastfeeding from the mother's perspective / Condicionantes de la lactancia exclusiva desde la perspectiva materna

Rocha, Gabriele Pereira; Oliveira, Maria do Carmo Fontes; Ávila, Luciana Beatriz Bastos; Longo, Giana Zarbato; Cotta, Rosângela Minardi Mitre; Araújo, Raquel Maria Amaral.
Cad. Saúde Pública (Online); 34(6): e00045217, 2018. tab, graf
Artigo em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: biblio-952409
O objetivo do estudo foi explorar, entre nutrizes, as vivências positivas e negativas na realização da prática da amamentação exclusiva. Foi realizado um estudo descritivo, qualitativo, envolvendo 18 nutrizes com filhos de até um ano de idade, recrutadas no Serviço de Imunização do Município de Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Os dados foram obtidos por meio de entrevistas gravadas e transcritas. O corpus foi submetido à análise de conteúdo para averiguação das unidades temáticas relacionadas às vivências positivas e negativas, e, em seguida, foram construídos dois textos correspondentes a cada situação. Esses textos foram submetidos à análise de similitude com o auxílio do software IRAMUTEQ, gerando duas árvores de similitude. A interpretação das árvores de similitude foi realizada a partir das linhas de concordância produzidas pelo software AntConc. As principais vivências negativas na amamentação exclusiva foram a demanda constante da criança pelo peito, a impossibilidade de distanciar-se da criança, a dor ao amamentar e a insegurança quanto à capacidade de produzir leite suficiente. As principais vivências positivas foram os benefícios biológicos do leite materno, o vínculo mãe-filho, a praticidade e o menor custo. O estudo possibilitou a apreensão das dimensões positivas e negativas ligadas à amamentação exclusiva e sugere a importância da assistência profissional à mulher na fase inicial da amamentação e do apoio da rede social para amenizar a sensação de sobrecarga da mulher.