Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Atraso vacinal no município de Barbacena (MG): contextualizando o problema / Vaccine delay in the municipality of Barbacena (MG): contextualizing the problem

Macedo, Lívia Maria; Gomes, Maira Magalhães; Madureira, Maria Letícia Lima; Lemos, Nívia Brant; Lucinda, Leda Marília Fonseca; de Araújo, Sônia Torres Horta.
Rev. interdisciplin. estud. exp. anim. hum. (impr.); 9(único): 7-14, outubro 2017. tab
Artigo em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: biblio-964832
Introdução: O Programa Nacional de Imunizações (PNI) visa controlar ou erradicar doenças infectocontagiosas através de coberturas vacinais. Entretanto, há fatores que dificultam a vacinação. Este estudo procurou avaliar quais vacinas apresentaram maior atraso entre crianças de 0-5 anos incompletos e os principais motivos desses atrasos, bem como os dados socioeconômicos das respectivas mães nos três principais postos de saúde de Barbacena nos dias "D" das campanhas nacionais. Materiais e métodos: Estudo de corte transversal referente às crianças com atraso vacinal durante os dias "D" das campanhas nacionais contra poliomielite realizadas em 2014 e 2015. Os critérios de exclusão foram a não aceitação em participar da pesquisa, crianças com idade fora da faixa etária do estudo e aquelas que não apresentaram cartão. Resultados: Foram encontradas 112 crianças com atraso. Quando avaliadas as vacinas, notou-se que a prevalência de atraso foi da DTP-48 meses e da triviral-15 meses. Quanto aos motivos, destacaram-se presença de sintomas, desconhecimento e esquecimento. Orientação profissional e falta de vacina no posto também tiveram relevância. Conclusão: Foram encontrados atrasos na maioria das vacinas. Motivos que merecem destaque são a orientação profissional e falta de vacina. Provavelmente, o problema foi a falta de informação adequada. Entretanto, é necessário expandir o estudo.