Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Emergency department visits for ambulatory care sensitive conditions / Perfil de las atenciones por condiciones sensibles a la atención primaria de salud en una unidad de urgencias / Perfil dos atendimentos por condições sensíveis à Atenção Primária à Saúde em uma Unidade de Pronto Atendimento

Lima, Ana Cláudia Medeiros Galvão de; Nichiata, Lúcia Yasuko Izumi; Bonfim, Daiana.
Rev. Esc. Enferm. USP; 53: e03414, 2019. tab
Artigo em Inglês, Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, BDENF - enfermagem (Brasil) | ID: biblio-985084
RESUMO Objetivo: Descrever os atendimentos por condições sensíveis à Atenção Primária à Saúde em uma unidade de pronto atendimento. Método: Estudo descritivo, exploratório e ecológico, com abordagem quantitativa. Acessou-se um banco de dados com informações dos atendimentos realizados, de janeiro de 2015 a dezembro de 2016, em uma Unidade de Pronto Atendimento localizada na região do Campo Limpo, município de São Paulo. Considerou-se intervalo de confiança de 99% para a incidência de atendimentos com identificação de condição sensível à Atenção Primária à Saúde, com margem de erro de 0,4%. As análises foram realizadas com o auxílio do pacote estatístico SPSS. Resultados: Foram realizados 434.883 atendimentos, 17,1% deles por condições sensíveis à Atenção Primária à Saúde, constituídos majoritariamente pelo sexo feminino e por crianças com até 4 anos de idade. Grande parte dos atendimentos ocorreu em razão de infecções de ouvido, nariz e garganta (45,4%). Houve aumento da chance de atendimento pelo indicador em pacientes crônicos (p<0,001). Conclusão: Os achados deste estudo apontam a presença de um perfil de pacientes de uma Unidade de Pronto Atendimento que poderiam ser atendidos por Unidades Básicas de Saúde ressaltando as fragilidades do acesso e do cuidado continuado na Atenção Primária à Saúde.