Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Anos potenciais de vida perdidos devido à mortalidade por câncer de boca e faringe / Potential years of life lost and mouth and pharynx cancer

Almeida, Maria Eneide Leitäo de; Silva, Marcelo Gurgel Carlos da; Souza, Elizabethe Cristina Fagundes de.
RGO (Porto Alegre); 50(1): 21-24, jan.-mar. 2002. tab, graf
Artigo em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, BBO - odontologia (Brasil) | ID: lil-329188
Este trabalho analisa o impacto em Anos Potenciais de Vida Perdidos (APVP), na populaçäo de Natal/RN, devido a mortalidade por câncer de boca e faringe, no período de 1981 a 1995. Utilizou-se a base de dados de mortalidade do Sistema de Informaçäo de Mortalidade do Rio Grande do Norte, e os dados da populaçäo de Natal, gerados a partir dos Censos Demográficos de 1980 e de 1991. Para análise, os dados foram agrupados em triênios consecutivos, tomando-se como variáveis principais o sexo, a faixa etária e as localizaçöes anatômicas. Os resultados mostraram que no período estudado, foram retirados dessa populaçäo, por todas as causas de morte, um total de 433.436 anos potenciais de vida, dos quais 278.301 foram atribuídos ao sexo masculino, correspondendo a 64 por cento das perdas, e 155.135 ao feminino (36 por cento das perdas). Os neoplasmas malignos foram responsáveis por 47.292 APVPs, proporcionando cerca de 10,9 por cento de todas as perdas, sendo que nos homens, as neoplasias representaram 46 por cento das perdas, com 21.720,5 APVAs, e nas mulheres, com 25.571,5 APVPs, foi de 54 por cento. Os cânceres de boca e faringe contribuíram juntos com 1.167,5 APVPs (0,26 por cento de todas as perdas), sendo que as mortes por câncer de boca e faringe eqüivaleram a 0,12 por cento e 0,14 por cento de APVPs, respectivamente. Com referência à proporçäo (por cento) em APVPs, observou-se que em 1981-83 os cânceres de boca e faringe, concorriam com 0,09 por cento e 0,11 por cento dos APVPs e, em 1993-5, com 0,39 por cento e 0,16 por cento dos APVPs em homens e mulheres, respectivamente apresentando um discreto aumento