Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Inadequação no consumo alimentar e fatores interferentes na ingestão energética de idosos matriculados no Programa Municipal da Terceira Idade de Viçosa (MG) / Food consumption inadequacy and interfering factors in energy intake of the elderly enrolled in the city of Viçosas (MG) Third Age Program

Abreu, Wilson César de; Franceschini, Sylvia do Carmo Castro; Tinoco, Adelson Luiz Araújo; Pereira, Conceição Angelina dos Santos; Silva, Margarida Maria Santana.
Rev. baiana saúde pública; 32(2): 190-202, maio-ago. 2008. tab, graf
Artigo em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: lil-516003
O presente estudo teve como objetivo avaliar o consumo alimentar de idosos matriculados no Programa Municipal da Terceira Idade (PMTI) de Viçosa (MG) e os possíveis fatores que interferem negativamente sobre o mesmo. Para avaliar o consumo alimentar, utilizou-se a média obtida a partir da soma do consumo encontrado entre o recordatório de 24 horas e o questionário de frequência alimentar semi-quantitativo (QFCA-s). Foi aplicado um questionário para avaliar as variáveis socioeconômicas e de saúde. A ingestão de energia e proteína ficou abaixo da necessidade estimada para 94,2por cento e 79,3por cento dos idosos. Verificou-se elevada inadequação no consumo de vitaminas (vitamina C, A, B1, B2 e B6). O consumo mediano de cálcio foi cerca de 1/3 do valor recomendado. A prevalência de inadequação de ferro foi baixa entre os idosos. Os fatores, baixa renda, morar sozinho ou com três gerações, edentulismo, uso de medicamentos e sedentarismo interferiram negativamente no consumo de energia (p menor que 0,05). A ingestão de proteínas foi afetada negativamente pelo edentulismo e sedentarismo. Os resultados mostram uma ingestão alimentar deficiente em vários nutrientes, sugerindo a necessidade de implementação de ações de assistência social e educacional para melhorar o quadro nutricional deste grupo.