Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Avaliação dos recém-nascidos a termo com índice de apgar baixo de um Hospital Geral Terciário, público e de ensino no Ceará, em 2005 / Evaluation of newborn term infants with low Apgar score in a Hospital Geral Terciário, and public education in Ceará in 2005

Pinto, Maria Solange Araújo Paiva.
Rio de Janeiro; s.n; 2008. 54 p. tab.
Tese em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: lil-527582
INTRODUÇÃO: A asfixia intra-uterina e a intraparto, o baixo peso ao nascer, asinfecções e a prematuridade constituem as principais causas de óbitos neonatais do recémnascido. O índice de Apgar é um dos critérios usados para diagnosticar asfixia. OBJETIVO: Analisar o perfil dos recém-nascidos a termo com índice de Apgar baixo (...) e índice de Apgar maior ou igual a 7, que nasceram em um Hospital Público no município de Fortaleza-Ce, no ano de 2005. METODOLOGIA: Trata-se de um estudoanalítico, retrospectivo, do tipo caso-controle, de base hospitalar. A população do estudo foi constituída pela coorte da pesquisa Tendências e Diferenciais na Saúde Perinatal noMunicípio de Fortaleza, Ceará: Comparação entre 1995 e 2005. Foram selecionados recém-nascidos (RNs) com idade gestacional maior ou igual a 37 semanas. Os que apresentaram índice de Apgar (...) 6 foram definidos como casos enquanto aqueles com índice de Apgar maior ou igual a 7 constituíram o grupo controle, ficando a amostracomposta por 626 RNs, sendo 313 casos e 313 controles. Empregou-se um questionário estruturado, adaptado do instrumento de coleta de dados da pesquisa, com variáveissociodemográficas, obstétricas, clínicas. RESULTADOS: Na amostra 62,5 por cento eram filhos de mulheres na faixa etária de 20-34 anos. Na análise multivariada foi considerado comofator de risco para índice de Apgar baixo as variáveis: baixa escolaridade da mãe (OR=2,48 IC95 por cento: 1,22- 5,06), tempo de trabalho de parto (OR=1,79 IC95 por cento: 1,03-3,11), peso aonascer (OR=3,25 IC95 por cento:1,15 -3,25), tipo de parto (OR=1,83 IC95 por cento: 1,33-2,51) e SHG (OR = 2,07, IC95 por cento: 1,34 -3,16). As variáveis idade materna, situação conjugal, ocupação, consulta pré-natal, sexo do RN e dia do nascimento não apresentaram associação com avariável desfecho. CONCLUSÃO: as mães dos recém-nascidos eram na sua maioria jovens, pertencentes às classes sociais menos favorecidas. O índice de Apgar baixo pode ser decorrente de fatores clínicos, obstétricos, perinatais, de organização da atenção ao binômio parturiente-feto e do contexto socioeconômico.