Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Evolução intergeracional da estatura no Estado de Pernambuco, Brasil, entre 1945 e 2006: 1 - aspectos descritivos / Intergenerational evolution of stature in Pernambuco State, Brazil (1945-2006): 1 - descriptive aspects

Figueiroa, José Natal; Alves, João Guilherme Bezerra; Lira, Pedro Israel Cabral de; Batista Filho, Malaquias.
Cad. saúde pública; 28(7): 1285-1296, jul. 2012. ilus, tab
Artigo em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: lil-638723
Utilizando-se modelos de regressão linear com interceptos aleatórios, foi realizada uma descrição da evolução estatural de pessoas residentes em Pernambuco, Brasil, em 2006 e nascidas a partir de 1945. O ganho estatural dos homens adultos foi de 0,23cm/ano, entre 1947-1987; das mulheres, 0,15cm/ano, entre 1945-1987. Em relação aos padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS 2006), as crianças e os adolescentes apresentaram déficit estatural declinante no período de 1987-2006, com uma taxa anual de -0,019 escores-z (A/I) para o sexo feminino e -0,013, para o sexo masculino; os homens e as mulheres que completaram 19 anos em 1987, apresentaram déficit de estatura de 5,0cm. Projetando-se as tendências observadas em 2006, os homens e as mulheres adultos de Pernambuco esperariam, respectivamente, em torno de 22-33 anos para atingir o padrão internacional. Por sua vez, as crianças menores de cinco anos apresentariam, dentro de 6-7 anos, um déficit estatural de 2,3%, que é a ocorrência verificada no padrão da OMS, corrigindo, assim, o histórico retardo de crescimento dessa população em Pernambuco.