Your browser doesn't support javascript.

RIPSA

Rede Interagencial de Informações para a Saúde

Sistematizando informação e construindo conhecimento para políticas de saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Influência do aleitamento materno na hospitalização de menores de dois anos no estado de Pernambuco, Brasil, em 1997 e 2006 / The influence of breastfeeding in the hospitalization of children under two years of age in the State of Pernambuco, Brazil, in 1997 and 2006

Mota, Thaysa Thatyana Aragão Guerra; Caminha, Maria de Fátima Costa; Figueiroa, José Natal; Lira, Pedro Israel Cabral de; Batista Filho, Malaquias.
Ciênc. saúde coletiva; 20(8): 2347-2358, 08/2015. tab
Artigo em Português | LILACS - Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde | ID: lil-753231
Resumo Objetivou-se avaliar a influência do aleitamento materno e de outros fatores na ocorrência de hospitalizações, bem como a frequência e principais causas de internações em menores de dois anos, no estado de Pernambuco, Brasil. Estudo transversal, descritivo-analítico, utilizando dados secundários obtidos dos bancos das II e III Pesquisas Estaduais de Saúde e Nutrição (PESN), realizadas nos anos de 1997 e 2006, respectivamente, totalizando uma amostra de 1503 menores de dois anos. Utilizou-se o teste chi-quadrado de Pearson, para analisar associações bivariadas, o Exato de Fisher, para comparação de risco de hospitalização nos dois anos observados, e a regressão de Poisson, para o ajustamento de modelo multivariado dos fatores condicionantes da internação no último inquérito. Nos dois anos analisados, não houve diferença estatisticamente significante no percentual de hospitalizações das crianças. O menor risco de internação permaneceu para os que mamaram exclusivamente. No que se refere às características ambientais, socioeconômicas, demográficas e de assistência à saúde, vários fatores evoluíram favoravelmente no período avaliado. No modelo final, apenas o índice peso/comprimento (categoria baixo peso) permaneceu associado aos fatores de risco de hospitalização de menores de dois anos.