Your browser doesn't support javascript.

Secretaria de Estado da Saúde - BVS

Rede de Informação e Conhecimento

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Avaliação seriada por ultrassom intracoronário do suporte vascular bioabsorvível com eluição de novolimus DESolveTM / Serial assessment by intracoronary ultrasound bioresorbable coronary scaffold eluting with novolimus DESolveTM

Aguiar Filho, Gentil Barreira.
São Paulo; s.n; 2017. 79 p. ilus, graf.
Tese Português | SES-SP, SES-SP, SES SP - Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, SES-SP | ID: biblio-1085857

INTRODUÇÃO:

Os suportes vasculares bioabsorvíveis (SVB) surgiram com a finalidade de aumentar a segurança tardia das intervenções coronárias percutâneas (ICP). Estes dispositivos liberam o fármaco antiproliferativo no local da obstrução e são absorvidos com o passar do tempo. A utilização do ultrassom intracoronário (USIC) pode ajudar na avaliação do processo de absorção deste dispositivo.

OBJETIVOS:

Primário avaliar e comparar, pelo USIC, o volume e a área da luz, do vaso e do SVB imediatamente após o implante da prótese, e, tardiamente, aos 6 e 18 meses. Objetivos secundários avaliar e comparar, pelo USIC, o volume e área da placa imediatamente após o implante da prótese, e, tardiamente, aos 6 e 18 meses e os diâmetros do vaso, lúmen e SVB após ICP e no seguimento. Percentual de estenose e perda tardia do lúmen pela angiografia no seguimento e incidência de eventos cardíacos adversos maiores (ECAM) até os 18 meses.

MÉTODO:

Trata-se de um estudo prospectivo, não randomizado com a inclusão de 20 pacientes que foram submetidos ao implante do SVB DESolve®. Foi realizado o USIC após o procedimento e aos 6 e 18 meses de seguimento.

RESULTADOS:

Dos 20 pacientes selecionados, um paciente recusou realizar o USCI aos 6 meses e dois não realizaram o exame aos 18 meses, sendo excluídos do estudo. Totalizando 17 pacientes analisados. A idade média foi de 58,59 ± 8,73 anos e 70,6% eram do sexo masculino. O quadro clínico predominante era de angina estável. A via de acesso preferencial foi a radial, todos os pacientes foram submetidos à pré e pós-dilatação e o sucesso angiográfico ocorreu em todos os casos. No seguimento, houve aumento significativo na área (6,41 ± 1,35 mm2 vs. 7,35 ± 1,53 mm2, p < 0,002), volume (101,19 ± 20,9 mm3 vs. 118,51 ± 26,6 mm3, p = 0,001) e diâmetros do dispositivo, pelo USIC, aos 6 meses quando comparado ao procedimento índice...
Biblioteca responsável: BR79.1
Localização: BR79.1; TWG166.5.B2, Ag931a
Selo DaSilva