Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Emergency cerclage: gestational and neonatal outcomes

Costa, Maíra Marinho Freire; Amorim Filho, Antonio Gomes de; Barros, Mônica Fairbanks de; Rodrigues, Agatha Sacramento; Zugaib, Marcelo; Francisco, Rossana Pulcineli Vieira; Carvalho, Mário Henrique Burlacchini de.
Rev. Assoc. Med. Bras. (1992) ; 65(5): 598-602, May 2019. tab, graf
Artigo em Inglês | LILACS-Express | ID: biblio-1012964

RESUMO OBJETIVO:

Os resultados gestacionais e neonatais de mulheres com cervicodilatação precoce submetidas à cerclagem de emergência foram avaliados e comparados com mulheres tratadas com manejo expectante com repouso no leito.

MÉTODOS:

Análise retrospectiva de gestantes admitidas entre 2001 e 2017 com diagnóstico de cervicodilatação precoce e/ou membranas protrusas. Foram incluídas pacientes com gestação única de feto sem malformações, entre 16 semanas e 25 semanas e 6 dias, com dilatação cervical de 1 a 3 cm; as pacientes que tiveram parto ou aborto dentro de 2 dias após admissão foram excluídas.

RESULTADOS:

O estudo envolveu 30 pacientes: 19 no grupo cerclagem e 11 no grupo repouso. Houve diferença significativa, com o grupo cerclagem apresentando melhores resultados em relação à idade gestacional no parto (28,7 vs. 23,3 semanas; p=0,031) e à latência entre a admissão hospitalar e o parto (48,6 vs. 16 dias; p=0,016). A taxa de mortalidade fetal foi menor no grupo cerclagem (5,3% vs. 54,5%, p=0,004). Considerando a idade gestacional no nascimento dos recém-nascidos vivos, não houve diferença entre os grupos cerclagem e expectante (29,13 vs. 27,4 semanas; p=0,857).

CONCLUSÕES:

A cerclagem de emergência foi associada a maior período de latência com impacto significativo na idade gestacional do parto e à redução da taxa de mortalidade fetal.
Biblioteca responsável: BR1.1