Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Práticas de cuidado de parteiras e mulheres quilombolas à luz da antropologia interpretativa / Prácticas del cuidado de comadronas y mujeres quilombolas a la luz de la antropología interpretativa / Quilombola midwives' and women's care practices in the light of interpretative anthropology

Bonfim, Joenilton Oliveira; Prado, Ivanete Fernandes do; Boa Sorte, Elionara Teixeira; Couto, Pablo Luiz Santos; França, Nanci Maria de; Gomes, Antônio Marcos Tosoli.
Rev. bras. promoç. saúde (Impr.) ; 31(3): 1-11, 31/10/2018.
Artigo em Inglês, Português | LILACS | ID: biblio-970575

OBJETIVO:

Analisar o conhecimento popular quilombola acerca das práticas de cuidado desenvolvidas no pré-natal, no parto e no puerpério sob a ótica de parteiras e mulheres quilombolas.

MÉTODOS:

Trata-se de um estudo qualitativo realizado em uma comunidade tradicional de remanescentes quilombolas do Sertão Produtivo do estado da Bahia, localizado no interior do Nordeste Brasileiro, com 12 mulheres, sendo duas parteiras e dez mulheres que vivenciaram o parto assistidas por uma das duas parteiras da comunidade, aplicando-se um roteiro de entrevista semiestruturada em fevereiro de 2014. Os dados foram analisados com o auxílio da Antropologia Interpretativa. A análise explicitou três categorias: práticas de cuidado cultural no pré-natal, práticas de cuidado cultural no parto e práticas de cuidado cultural no pós-parto.

RESULTADOS:

Na primeira e segunda categorias, evidenciou-se, tanto pelas mulheres que vivenciaram o parto quanto para as parteiras, que são utilizadas manobras manuais para estimular as contrações das gestantes e para ajudar no posicionamento adequado do feto para evitar complicações. Na terceira categoria, as entrevistadas relataram o estímulo aos banhos de acentos com plantas e ervas, além do uso de chás naturais para evitar infecções e hemorragias puerperais, como conduta das parteiras.

CONCLUSÃO:

Conclui-se que as práticas culturais (manobras no parto, chás, orações às divindades naturais, banhos de assento com ervas e folhas) evidenciadas pelas participantes do estudo, transmitidas de geração a geração, são importantes para a saúde das mulheres quilombolas que vivenciam o ciclo gravídico puerperal e devem ser valorizadas pela equipe de profissionais da saúde. (AU)
Biblioteca responsável: BR6.1