Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Detecção de betalactamases de espectro estendido (ESBL) em isolados de Escherichia coli uropatogênicas (UPECS) oriundos de pacientes da comunidade / Detection of extended spectrum beta-lactamases (ESBLS) in isolates of uropathogenic Escherichia coli (UPECs) from patients in the community

Carmo, Monique Santos do; Marques, Adriana de Mendonça; Gonçalves, Luis Henrique Bastos; Ferro, Thiago Azevedo Feitosa; Monteiro, Cristina de Andrade; Bomfim, Maria Rosa Quaresma; Turri, Rosimary de Jesus Gomes; Monteiro-Neto, Valério; Figueiredo, Patrícia de Maria Silva.
Rev. patol. trop ; 41(4): 419-426, out.-dez. 2012. tab, ilus
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-667746
A produção de betalactamases de espectro estendido (ESBL) consiste em um importante mecanismo de resistência aos antimicrobianos betalactâmicos. O vasto uso desses antibióticos no tratamento das infecções do trato urinário (ITU) tem agravado ainda mais esta problemática. As bactérias do tipo UPEC são consideradas as principais responsáveis por este tipo de infecção. Estudos para acompreensão da diversidade dessas enzimas no Brasil são escassos e, além disso, muitos deles são direcionados à pesquisa de isolados de origem hospitalar. Os objetivos do presente estudo foram detectar os genes que codificam as betalactamases TEM, CTX-M e SHV por PCR multiplexe identificar os isolados que as produzem por meio do método do disco aproximação. Do total dos isolados analisados, 12,8por cento apresentaram o fenótipo positivo para ESBL, enquanto 65,8por cento amplificaram sequências homólogas para os genes de betalactamases. Destes, os predominantes foram blaTEM e blaCTX-M, com 42,7por cento e 18,8por cento, respectivamente. Dois isolados não amplificaram para nenhum dos genes em estudo, apesar de terem expressado a enzima no teste fenotípico. Os resultados obtidos neste trabalho ressaltam a necessidade de mais estudos que visem à caracterizaçãomolecular para elucidar a disseminação desse mecanismo de resistência entre bactérias oriundas de pacientes da comunidade.
Biblioteca responsável: BR15.1