Your browser doesn't support javascript.

Bibliografia do SUS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Comunicação e saúde pública: o (des)conhecimento dos jornalistas da região metropolitana do Recife (PE) sobre o sistema único de saúde (SUS) / Communication and public health: the (lack of)knowledge of journalists of the metropolitan region Recife (PE) on the unified health system (SUS)

Oliveira, Fabíola Tavares de.
Recife; s.n; 2011. 81 p. tab.
Tese em Português | LILACS | ID: lil-691840

Resumo

Até a criação do SUS a saúde não era direito de todos os brasileiros. O Estado focava suas ações na promoção da saúde e prevenção de doenças. Na área de recuperação da saúde a assistência era restrita aos trabalhadores de carteira assinada. Embora hoje esse direito seja garantido a todos, passados quase 23 anos de seu surgimento a população ainda não se apoderou desse sistema. No campo da comunicação esse fato está relacionado a questões como a cobertura sensacionalista dada ao setor saúde; a atenção oferecida às falas de fontes institucionais em detrimento de falas dos movimentos sociais e a busca de prevalecimento de sentidos através de práticas discursivas no universo midiático. Nesta pesquisa, o objetivo principal foi avaliar o conhecimento dos jornalistas atuantes nos principais veículos de comunicação da Região Metropolitana de Recife (PE) sobre o SUS. Os resultados mostram, entre outro dados, que a definição mais frequente dada para saúde é o bem-estar físico, mental, social, resultante de condições sociais. Direito à saúde é ter acesso a serviços de saúde. As unidades assistenciais são as mais lembradas como instâncias que formam o SUS; a maioria não atribui às três esferas de gestão governamental a responsabilidade pelo sistema e o seu financiamento. Para eles esse sistema funciona mal e a qualidade da assistência é ruim, embora afirmem não fazer uso dele. Quase todos não souberam apontar os conselhos e as conferências de saúde como ferramentas de controle social; nenhum deles avaliou conhecer bem o sistema. Conclui-se que é superficial o conhecimento dos jornalistas sobre o SUS, prejudicando a divulgação feita sobre ele. Para realizar a avaliação foram entrevistados 18 jornalistas, escolhidos por sorteio, ligados a rádios, TVs e jornais, seguindo-se um roteiro padronizado. Para análise e sistematização dos dados foi usada a técnica de condensação de significados de Kvale, que implica no resumo das entrevistas a partir de extrato das falas dos entrevistados.
Biblioteca responsável: BR305.1
Localização: BR305.1; (043.41)"2011", O482c