Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Grau de complexidade de cuidados de enfermagem em readmissão hospitalar na oncologia clínica de câncer da mama / Nursing care complexity level of the hospitals readmissions in breast cancer clinical oncology

Rio de Janeiro; s.n; jan. 2017. 118 f p. graf, tab.
Tese em Português | BDENF - Enfermagem | ID: biblio-846758
Apresentada a Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escola de Enfermagem Anna Nery para obtenção do grau de Mestre. Orientador: Moreira, Marléa Chagas.
O câncer da mama é mais incidente entre as mulheres no Brasil e no mundo. O diagnóstico em estadiamento tardio no Brasil pode estar intimamente ligado a morbidade das pessoas acometidas e ao prognóstico da doença. A Política Nacional de Atenção Oncológica coloca como um de seus objetivos a melhora da qualidade de vida dos usuários com câncer por meio de ações de tratamento e de assistência contínua. A readmissão hospitalar se insere nessas ações, podendo ser, algumas vezes, um indicador de qualidade assistencial. Para uma assistência de qualidade é necessária uma dialética entre o cuidado direito e indireto, ou seja, o gerenciamento do cuidado. A determinação do grau de complexidade de cuidados de enfermagem é uma ferramenta para a gestão deste. O objetivo do estudo foi avaliar o grau de complexidade dos cuidados de enfermagem de pessoas com câncer da mama em situação de readmissão no setor de oncologia clínica. Tratou-se de um estudo epidemiológico, retrospectivo, transversal descritivo, com pessoas com câncer da mama readmitidas num CACON do RJ durante 2015. Foram verificadas suas características sociodemográficas, clínicas e grau de complexidade de cuidados de enfermagem por meio da técnica de análise de dados nos sistemas de informação e prontuário dos indivíduos. Foram realizadas análises estatísticas descritivas, Testes de Qui-Quadrado e Fisher nas análises bivariadas tomando o valor de p < 0,05 para significância estatística e logo em seguida análise multivariada por meio do modelo de regressão binária mantendo índice de confiança em 95%. Verificou-se predominância de mulheres, maioria com 60 anos ou mais, casadas, com ensino fundamental, ocupação do lar, renda entre 1 ­ 2 salários mínimos, residentes na região metropolitana do Rio de Janeiro, diagnosticadas no nível de atenção primário, matriculadas no cenário do estudo entre 1-5 anos, readmitidas em até 10 dias após alta, Estadiamento IV, PS4, internadas devido dor e com hipertensão arterial. As categorias do grau de complexidade de cuidados de enfermagem mais prevalentes nessa amostra populacional foram cuidados semi-intensivos e intensivos, ambos com frequência relativa similar. Na verificação de associação, constatou-se que as variáveis Estadiamento, Performance status e Hipertensão arterial revelaram significância estatística com a variável desfecho grau de complexidade. Mas já ao teste de regressão, apenas a Hipertensão arterial e a Performance status se confirmaram como variáveis preditoras independentes para o grau de complexidade de cuidados de enfermagem. A caracterização das pessoas readmitidas e seu grau de complexidade de cuidados de enfermagem pode embasar a elaboração de um planejamento assistencial voltado às suas reais necessidades de saúde e também a previsão adequada de recursos necessários para uma assistência de qualidade. A identificação das variáveis que se associam ao grau de complexidade pode subsidiar o gerenciamento do cuidado e, além disso, auxiliar na previsão e otimização de recursos materiais e humanos na atenção oncológica de um CACON no Rio de Janeiro. Tal fato pode melhorar a qualidade e a segurança da assistência de enfermagem prestada e ser o primeiro passo para reflexão acerca do modelo assistencial e gerenciamento do cuidado na atenção oncológica.(AU)
Biblioteca responsável: BR442.1
Localização: BR442.1; T798 EEAN