Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
XML
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Email
Adicionar mais destinatários
| |

Métodos de rastreamento da depressão em pacientes ambulatoriais com insuficiência cardíaca / Methods of screening for depression in outpatients with heart failure

Int. j. cardiovasc. sci. (Impr.); 31(4)jul.-ago. 2018. tab
Artigo em Português | LILACS | ID: biblio-910643
A depressão é uma condição clínica sindrômica subdiagnosticada em pacientes com insuficiência cardíaca. Uma variedade de instrumentos é atualmente aplicada no rastreamento da depressão. Determinar a prevalência da depressão e a concordância entre os métodos de rastreamento para depressão em pacientes com insuficiência cardíaca. Estudo transversal realizado entre março de 2015 e janeiro de 2017 com 76 pacientes ambulatoriais acompanhados em uma clínica especializada de insuficiência cardíaca. A depressão foi rastreada pela Escala de Avaliação de Depressão de Hamilton (HAM-D), pelo Inventário de Depressão de Beck-II (BDI-II) e pelo Patient Health Questionnaire-9 (PHQ-9). A concordância entre os três instrumentos foi analisada pelo coeficiente kappa de Fleiss (kF), coeficiente alfa de Krippendorff (Ck) e coeficiente alfa de Cronbach. Foram calculadas a acurácia, sensibilidade, especificidade e as taxas de resultados falso-positivos e falso-negativos dos instrumentos HAM-D e PHQ-9, considerando o instrumento BDI-II como padrão-ouro no diagnóstico da depressão. As prevalências de depressão foram de 72,4% (n = 55) pela escala HAM-D, 67,1% (n = 51) pela escala BDI-II e 40,8% (n = 31) pelo PHQ-9. A prevalência de depressão pelos três instrumentos simultaneamente foi de 28,9% (n = 22) e a concordância diagnóstica entre os três instrumentos (sobre a presença ou ausência de depressão) foi de 47,4% (n = 36). A análise revelou uma concordância superficial (kF = Ck = 0,27) e consistência moderada (↓C = 0,602, significativamente não nulo, p = 0,000). As variáveis sociodemográficas e clínicas não constituíram fatores de riscos para a depressão na amostra avaliada. Os métodos de rastreamento analisados apresentaram concordância e foram úteis na detecção da depressão entre pacientes ambulatoriais com insuficiência cardíaca
Biblioteca responsável: BR44.1
Localização: BR44.1