Your browser doesn't support javascript.

Portal Regional da BVS

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Violência e vida familiar: abordagens psicanalíticas e de gênero / Violence and family life: psychoanalytic and gender approaches

Saúde Soc; 25(2): 422-430,
Artigo em Português | LILACS | ID: lil-787844

Resumo

Busca-se examinar as possibilidades de diálogo interdisciplinar entre a psicanálise e a teoria de gênero, tal como tem sido usada em estudos acerca da violência na Saúde Coletiva, para abordar ocorrências de agressão e abuso na vida familiar e seus possíveis impactos na saúde, com especial atenção às repercussões psíquicas nas crianças e mulheres, bem como no grupo familiar como um todo. Com base em autores clássicos para ambos os aportes disciplinares, examina-se um caso concreto extraído de situação de atendimento à família. Esse exame é composto de três dimensões interpretativas: primeiro, considerações sobre o caso individual em seu contexto familiar; segundo, o caso visto da perspectiva das questões culturais; por fim, a relação entre a cultura e sua expressão individualizada no caso. Aponta-se para a possibilidade de se realizar uma abordagem que integre a dimensão intrapsíquica, que diz respeito ao funcionamento do mundo interno dos sujeitos envolvidos, à realidade sociocultural e histórica que constitui o seu contexto de vida. E com vistas a uma atenção mais integral dos casos, aponta-se a importância prática de combinar a reflexão e intervenção de natureza psicodinâmica, fruto do exame dos impactos intrapsíquicos da violência a partir de conceitos como trauma e terror, com reconhecimentos das expressões culturais no plano individual e familiar, que reforçam aceitações normativas de agressões, vitimizações, silenciamentos e banalizações das violências. O diálogo interdisciplinar permite compreender o desenvolvimento de sentimentos e comportamentos, reforçados culturalmente, tais como medos e vergonhas nas vítimas e reiteração das violências nos agressores.
We aim to examine the possibilities for an interdisciplinary dialogue between Psychoanalysis and gender theory, as expressed in studies about violence on Collective Health, to approach occurrences of aggression and abuse in family life and their possible impacts on health, with particular attention to the psychological impacts on children and women, as well as in the family group as a whole. Based on classical authors for both disciplinary contributions, we examine a concrete case taken from a family care situation. This examination consists of three interpretative dimensions: first, considerations on the individual case in its family context; second, the case seen from the perspective of cultural issues; and third, the relation between culture and its individualized expression in the case. We show the possibility of conducting an approach that integrates the intrapsychic dimension, which concerns the functioning of the inner world of the individuals involved, with the sociocultural and historical realities that constitute their context of life. With the aim of a comprehensive care of the cases, we highlight the practical importance of combining reflection and action of psychodynamic nature, a result of the examination of the intrapsychic impacts of violence from concepts such as trauma and terror, with recognition of cultural expressions in the individual and family realms, which strengthen normative acceptances of aggressions, victimizations, silencing, and trivialization of violence. The interdisciplinary dialogue makes possible to understand the development of culturally reinforced feelings and behaviors, such as fear and shame in the victims and repetition of violence in the aggressors.
Biblioteca responsável: BR67.1