Your browser doesn't support javascript.
loading
Mostrar: 20 | 50 | 100
Resultados 1 - 20 de 17.220
Filtrar
Mais filtros








Filtros aplicados
Intervalo de ano de publicação
1.
Belo Horizonte; s.n; 20220214. 103 p.
Tese em Português | LILACS-Express | LILACS, BDENF - Enfermagem, Coleciona SUS, InstitutionalDB | ID: biblio-1370359

RESUMO

Introdução: Em 2020, conclui-se o ciclo da Década de Ações para a Segurança no Trânsito proposto pela Organização das Nações Unidas. Para atingir a meta de redução das mortes estabelecida pela ONU, em 2010, teve início o Programa Vida no Trânsito (PVT), cuja implementação está organizada em quatro etapas: articulação intersetorial; qualificação e integração dos dados; ações integradas de segurança no trânsito; e monitoramento das ações. Considera-se importante identificar quais etapas não estão implementadas e apontar possíveis estratégias para o ajuste do programa, de modo a atingir suas metas. A possibilidade de se obter uma plataforma web capaz de vincular bases epidemiológicas de dados consolidados, permitindo o amplo uso desses na vigilância para a produção de informação sobre os acidentes de trânsito, faz-se oportuna à avaliação do desempenho dessa ferramenta digital. Objetivo: Avaliar o grau da implementação do PVT em 31 municípios, a confiabilidade e a validade no pareamento probabilístico de bases de dados (record linkage) realizado na plataforma digital especialmente desenvolvida para a o PVT. Método: foi realizada uma avaliação formal e normativa, composta de duas fases: a) validação de conteúdo de 28 indicadores da implementação do PVT e b) a avaliação do grau da implementação, a partir de dois inquéritos (2015 e 2017) numa amostra de 30 municípios. Em seguida, Record Linkage (RL) probabilístico foi realizado com uso do software Reclink e da plataforma digital PD-PVT. Estes estudos utilizaram registros disponíveis na base de dados de vítimas do trânsito (VIT), no Sistema de Internação Hospitalar (SIH) e no Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), referentes ao segundo trimestre de 2016 de um município participante do PVT. Foi então verificado o desempenho do RL na PD-PVT, por meio da análise das medidas de concordância e validade comparadas à rotina do RL realizado no Reclink. Resultados: O PVT encontra-se parcial ou totalmente implementado em 84,61% dos municípios. Observou-se um aumento no número de municípios implementados, passando de oito para dez, nos anos de 2015 a 2017. Entre as quatro etapas da metodologia do PVT, apenas a primeira, encontra-se implementada. Acerca do desempenho do RL na PD-PVT, a integração entre as bases SIH-VIT e SIM-VIT mostraram uma excelente confiabilidade entre os avaliadores (Kappa 0,95-0,98). Para validade, os resultados do PD-PVT foram: Precision 1,00 (IC 1,00-1,00) para o SIM-VIT; Recall 1,00 (CI 1,00-1,00) para SIH-VIT; e AUCPR 0,99 (CI 0,99-1,00) para SIH-VIT. Conclusão: Este estudo encontrou avanços no processo de implementação do programa nos anos avaliados, no entanto, apenas a primeira etapa apresenta-se implementada nos municípios avaliados. A técnica de RL realizada na PD-PVT mostrou excelente desempenho. É relevante destacar que uma das grandes vantagens desse sistema web está no processo automatizado de pareamento probabilístico. Diante disso, acredita-se que a redução dos passos torne o processo de RL mais ágil e mais simples, possibilitando, dessa forma a incorporação da técnica de RL, na rotina do serviço dos profissionais envolvidos, o que deverá contribuir para o andamento das atividades seguintes à etapa de qualificação da informação.


Introduction: In 2020, the cycle of the Decade of Actions for Traffic Safety proposed by the United Nations Organization ends. In order to reach the goal of reducing deaths caused by the UN, in 2010, the Program Vida no Trânsito (PVT) was started, whose implementation is organized in four stages: intersectoral articulation; qualification and integration of data; integrated traffic safety actions; and monitoring of actions. It is considered important to identify which steps are not implemented and point out possible adjustments to the program in order to achieve its goals. The possibility of obtaining a web platform capable of linking epidemiological databases of consolidated data, allowing wide use in surveillance for the production of information on traffic accidents, makes the performance evaluation of this digital tool opportune. Objective: To evaluate the degree of implementation of the PVT in 31 municipalities, the reliability and validation of the probabilistic pairing of databases (record linkage) carried out on the digital platform specially developed for the PVT. Method: a formal and normative one was carried out, consisting of two phases: a) content validation of 28 indicators of the PVT implementation and b) the evaluation of the degree of implementation, based on two surveys (2015 and 2017) in a sample of 30 municipalities. Then, probabilistic Record Linkage (RL) was performed using the Reclink software and the PD-PVT digital platform. These studies use records available in the traffic death database (VIT), in the Hospital Admission System (SIH) and in the Mortality Information System (SIM), referring to the second quarter of 2016 of a municipality participating in the PVT. The performance of the RL in the PD-PVT was then verified, through the analysis of the measures of agreement and validated to the routine of the RL performed in the Reclink. Results: The PVT is partially or fully implemented in 84.61% of the municipalities. There was an increase in the number of implemented municipalities, from eight to ten, in the years 2015 to 2017. Among the four stages of the PVT methodology, only the first is implemented. Regarding the performance of the RL in the PD-PVT, an integration between the SIH-VIT and permanent SIM-VIT bases and an excellent reliability among the evaluators (Kappa 0.95-0.98). For validation, the PD-PVT results were: Precision 1.00 (CI 1.00-1.00) for SIM-VIT; Remember 1.00 (CI 1.00-1.00) for SIH-VIT; and AUCPR 0.99 (CI 0.99-1.00) for SIH-VIT. Conclusion: This study found advances in the process of implementing the program in the years obtained, however, only the first stage is implemented in the recovered municipalities. The RL technique performed on the PD-PVT revealed excellent performance. It is worth noting that one of the great advantages of this web system is not the automated process of probabilistic matching. Therefore, it is believed that the reduction of steps makes the RL process more agile and simpler, thus enabling an incorporation of the RL technique in the service routine of the professionals involved, which should contribute to the progress of activities following the information qualification stage.

2.
São Paulo; s.n; 2022. 86 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362323

RESUMO

Após um ano da pandemia do coronavírus no Brasil, começou a se observar, no início de 2021, um avanço de casos positivos de COVID-19, internações e óbitos nas faixas mais jovens da população. Essa mudança na situação epidemiológica brasileira ocorreu por conta dos surgimentos de novas variantes mais transmissíveis do SARS-COV-2, flexibilização de medidas restritivas, além da prioridade de vacinação da população mais idosa. Portanto, o presente trabalho tem como objetivo principal identificar e analisar as crenças, atitudes e percepções dos jovens (18 a 29 anos) de Franco da Rocha com relação a Covid19. O estudo é categorizado por ser exploratório-descritivo, com uma abordagem quali-quantitativa a partir da aplicação de um questionário online. O trabalho é composto pelas seguintes análises: avaliação do contexto do município de Franco da Rocha (levantamento de dados socioeconômicos, demográficos, epidemiológicos e do índice de distanciamento social); estudo dos conhecimentos, atitudes e percepções dos jovens de 18 a 29 anos (aplicação de questionário). A partir da amostra estudada, nota-se que em média 90% dos jovens não acreditam serem menos propensos a desenvolverem formas graves da doença ou morrerem por conta da COIVD-19, além de confiarem nas medidas protetivas de combate a pandemia. As principais preocupações dos participantes durante os períodos de restrição e isolamento social foram de perderem algum familiar (90,3%), infectarem outras pessoas (66,9%) e serem infectados pelo SARS-COV-2 (61,3%). O estado emocional para 80,5% dos respondentes piorou durante os momentos de fechamento e isolamento social; constata-se que houve uma predominância de sentimentos ruins aos bons, com uma taxa de aproximadamente 70% para sentimentos ruins, 10% neutros e 20% sentimentos bons. No que se refere aos impactos da pandemia nos aspectos sociais, econômicos, observa-se que 21,6% dos jovens pararam de trabalhar e 24,2% pararam de estudar com o início da pandemia. Desse modo, é possível concluir que este estudo pode ser relevante para as autoridades locais embasarem ações de educação e de comunicação para a prevenção e o controle da COVID-19, além de construírem estratégias e políticas públicas que assegurem os direitos e necessidades da juventude em um período pós-pandêmico.


Assuntos
Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde , Adulto Jovem , COVID-19 , Percepção Social , Comunicação em Saúde
3.
São Paulo; s.n; 2022. 72 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362330

RESUMO

O presente trabalho objetiva analisar ainfluênciadoterritórionapromoçãodasaúdee no trabalho dos Agentes Comunitários de Saúde, através de práticas que estejam de acordo com as necessidades de saúde da população, ressaltando a importância daterritorializaçãoda saúde. Compreender os territórios e as lógicas que os determinam é considerar os determinantes sociais do processo saúde-doença, trazendo uma análise multidimensional ao âmbito dasaúde.Destaforma,propõe-seaproximaropensamentodecolonial,ourbanismoea saúde coletiva, à medida que todas essas formas de pensar propõe um olhar integral ao território, considerando a influência de diversos aspectos na vivência dos espaços urbanos e na promoção da saúde e de um mundo mais saudável a todos. Percebe-se a urgência de questionar as formas de organização dominantes e o pensamento hegemônico queestruturam a sociedade e busca-se no ACS uma possibilidade de ação, valorizando suas vivências do território e seu papel político na comunidade e no trabalho e considerando o lugar que este profissional ocupa como uma abertura para mudanças dentro do sistema de saúde e na comunidade. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é compreender como a atuação destes profissionais é influenciada pela forma de organização dos territórios e como diferentes vivências destes espaços possibilitam uma abertura para mudanças na lógica do SUS. Para isso, foram realizadas entrevistas com 6 ACS do município de Franco da Rocha, as quais foram analisadas qualitativamente através de eixos temáticos, que visavam compreender a influência do ambiente físico, da organizaçãopolíticaedainfluênciaeconômicasobreofazer cotidiano destes profissionais. A partir disso, conclui-se que existem muitas contradições na forma como o sistema de saúde seorganiza,tantoemrelaçãoàspolíticasgovernamentaisque oregulamentam,quantoemrelaçãoàspráticascotidianasdosprofissionais.Percebe-segrande desvalorização do fazerdosACS,comoresultadodeumasupervalorizaçãodosabercientífico e da imponência de uma lógica capitalista e produtivistaorientadapornúmerosedados,mais do que pelas necessidades reais e pelas vivências do território. Por fim, defende-se que para mudanças sejam feitas é necessário fortalecer laços comunitárioseestratégiaslocais,asquais baseiam-se no conhecimento do território e na vivência que a comunidade tem deste, contrariando lógicas de dominação e opressão que pré-estabelecem necessidades e fazeres.


Assuntos
Saúde Pública , Territorialização da Atenção Primária , Promoção da Saúde , Sistemas de Saúde , Planejamento de Cidades , Agentes Comunitários de Saúde
4.
São Paulo; s.n; 2022. 83 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362333

RESUMO

A Atenção Primária à Saúde, no Brasil denominada de Atenção Básica, constitui-se como porta de entrada do SUS, e realiza a coordenação do cuidado aos usuários nas Redes de Atenção à Saúde. Tem enquanto modo de organização prioritário, a Estratégia de Saúde da Família, que, ao mesmo tempo, se inscreve enquanto uma proposta alternativa ao modelo médico hegemônico, e promove a expansão, qualificação e consolidação da Atenção Básica. Sendo esta indispensável para o enfrentamento da Pandemia pelo COVID-19. Esta pesquisa tem como objetivo investigar o processo de trabalho na Atenção Básica em uma UBS do município de Franco da Rocha, de modo a identificar o modelo de atenção à saúde prevalente. Para isso, buscou compreender os conceitos e diretrizes que orientam a prática dos trabalhadores de saúde, bem como analisar a relação entre essas e a população adscrita. Trata-se de um estudo de caso de abordagem qualitativa, no qual foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com profissionais de uma Equipe de Saúde da Família do município. Os dados obtidos foram submetidos à Análise Temática de Conteúdo. Os resultados apontam para um processo de descaracterização da Estratégia de Saúde da Família, intensificado pela Pandemia, e suas implicações na organização dos serviços de saúde. Conclui-se que, apesar dos investimentos feitos pela gestão municipal para a ampliação da cobertura da Atenção Básica, a consolidação da ESF como modelo de atenção integral, permanece como campo em disputa, carecendo de investimentos em atributos como integralidade, longitudinalidade e humanização do cuidado.


Assuntos
Atenção Primária à Saúde , Estratégias de Saúde Nacionais , COVID-19 , Humanização da Assistência , Modelos de Assistência à Saúde
5.
São Paulo; s.n; 2022. 63 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362339

RESUMO

O Brasil é um dos países mais afetados pela pandemia de COVID-19. O alto número de casos de COVID19 pressionou o sistema de saúde e exigiu uma reorganização na assistência à saúde e no modo de vida das pessoas. Num país desigual, a pandemia não afeta de forma igual todos os grupos populacionais. Negros e indígenas acumulam os efeitos mais deletérios da pandemia, pois se encontram em condições vulnerabilizantes na sociedade. Nesse sentido, é importante compreender o efeito da pandemia na mortalidade da população, principalmente para as outras morbidades que não a COVID19. Objetivo: Identificar o excesso de mortalidade e suas principais causas na população adulta de Franco da Rocha (20 a 59 anos), nos anos de 2020 e 2021, quando comparados a 2019, considerando o quesito raça/cor. Metodologia: Trata-se de estudo epidemiológico descritivo a partir de dados secundários sobre mortalidade extraídos do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde (MS). Resultados: Foram analisados 798 óbitos da população adulta 30,73% do total de óbitos registrados no município. Notou-se que houve excesso de mortalidade em 4 meses no ano de 2020 e em 4 meses dos 6 meses analisados em 2021 quando comparados a 2019. A população branca apresenta uma redução nas suas taxas de mortalidade no período enquanto a população preta apresentou as taxas de mortalidade mais elevadas em todo período. Os dados demonstram que a diferença entre as taxas de mortalidade da população preta e parda em relação a população branca se amplia nos anos de 2020 e 2021. Dentre as principais causas de óbito, os capítulos XX. Causas externas de morbidade e mortalidade e XXII. Códigos para propósitos especiais foram comuns aos três grupos populacionais. Ao todo a população branca apresentou excesso de moratalidade em 5 capítulos, a população preta em 8 e a população parda 10. Conclusão: As diferenças entre as taxas de mortalidade da população branca, preta e parda e nas causas de óbito que apresentaram excesso de mortalidade demonstra a necessidade de debateras condições vulnerabilizantes da população e o racismo como um determinante social que impacta diretamente no processo saúde-doença.


Assuntos
População , Mortalidade , Adulto , COVID-19 , Cidades , Negros
6.
São Paulo; s.n; 2022. 55 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362342

RESUMO

Introdução: Frente à declaração de situação de pandemia pelo novo coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2020, fez-se necessário a investigação acerca dos impactos na saúde infantil dado as peculiaridades significativas acerca de casos de COVID-19 em crianças, que exigem cautela. Apesar de estudos iniciais indicarem que crianças são menos acometidas pela doença em relação a adultos e que, em geral, apresentam quadros assintomáticos ou leves, a complexidade do fenômeno e as lacunas de conhecimento ainda configuram um cenário de incertezas. Com o retorno às atividades presenciais nas escolas no Brasil em 2021, é importante investigar o impacto desse fenômeno na saúde infantil, assim como identificar o perfil de crianças mais vulneráveis a fim de se construírem políticas de saúde adequadas. Objetivo: O presente trabalho busca avaliar os casos de COVID-19 em crianças de 0-9 anos no município de Franco da Rocha, São Paulo, antes e após o retorno presencial às atividades escolares. Metodologia: Estudo epidemiológico descritivo a partir das informações do sistema de monitoramento de casos de COVID-19 da Secretaria Municipal de Educação e da Vigilância Epidemiológica de Franco da Rocha; análise dos casos de Síndrome Gripal (Sg) e Síndrome Gripal por COVID-19 a partir do sistema de informação e-sus VE; análise dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e Síndrome Respiratória Aguda Grave por COVID-19 a partir do sistema de informação SIVEP Gripe; análise dos casos segundo as variáveis idade, sexo e critério raça/cor; análise da qualidade dos dados segundo sua porcentagem de preenchimento nos sistemas de informação; e análise da síntese de um Diálogo Deliberativo acerca do tema com atores chave interessados. Resultados: Nas EMEBs de Franco da Rocha, 102 casos de COVID-19 foram confirmados no período analisado, sendo 5 casos em crianças, o que corresponde a 4,9% do total. No município, foram 1010 casos notificados de Sg e 117 de Sg por COVID-19, com maior número de notificações no mês de maio e junho de 2021. Os casos leves de COVID-19 foram mais frequentes em crianças brancas, do sexo feminino e menores de 1 ano de idade. A distribuição dos casos por faixa de idade indica que não houve aumento de casos com a reabertura escolar. No mesmo período, foram notificados 31 casos de Srag e 2 casos de Srag por COVID-19. Os casos graves de COVID-19 foram do sexo masculino, brancos, entre 5 a 9 anos. Não houve necessidade de internação em UTI ou óbitos infantis no período analisado. Entretanto, o preenchimento não adequado das informações dos critérios de raça/cor e classificação final da doença comprometem as análises. No Diálogo Deliberativo, frente aos resultados do estudo, foi apontada a dificuldade de tomada de decisão diante de um cenário sem precedentes na saúde, alívio frente ao não aumento expressivo dos casos de COVID-19 após a reabertura escolar e a necessidade de implementação e adaptação de medidas de mitigação da transmissão do vírus. Conclusão: A partir da análise da tendência temporal da doença em relação à reabertura das escolas no município, não foi possível identificar aumento do número de casos notificados em crianças na faixa etária que frequenta a comunidade escolar. Ressalta-se a importância do preenchimento adequado dos dados nos sistemas de informação de saúde, das estratégias de mitigação da transmissão do SARS-CoV-2 a fim de tornar o ambiente escolar seguro e a investigação do impacto da pandemia em outros aspectos psicológicos e socioeconômicos compõe uma concepção mais ampla e necessária de saúde da criança.


Assuntos
Saúde da Criança , Retorno à Escola , COVID-19 , Infecções por Coronavirus , Política de Saúde
7.
São Paulo; s.n; 2022. 92 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362353

RESUMO

Introdução: O plano de parto é um instrumento, altamente recomendado pela OMS (2018), que surge como uma forma de assegurar as necessidades e desejos das mulheres, para que parturientes recebam informações durante o trabalho de parto e participem ativamente dos processos de tomada de decisão, bem como forma de prevenção quaternária à violência obstétrica. Objetivo: Promover a escuta de pessoas grávidas no contexto da pandemia de modo a captar suas contribuições para atualização do plano de parto, de forma que sua implementação nos serviços de Franco da Rocha favoreça à promoção da autonomia desse grupo e para o enfrentamento da violência obstétrica. Metodologia: Trata-se de um estudo qualitativo, com recorte transversal, baseado na expressão das mulheres residentes de Franco da Rocha, por meio de uma roda de conversa e entrevistas de profissionais de saúde da rede de atenção à saúde do município. Resultados: A violência obstétrica sistemática é uma barreira reconhecida e presente na fala dos diferentes grupos das usuárias e das profissionais. O grupo educativo para pessoas gestantes identificado em UBS local é uma fortaleza reconhecida em comum tanto no grupo de mulheres como no dos profissionais, fortalecendo o vínculo entre serviço e usuárias e fonte genuína de trocas entre pares. Conclusão: O plano de parto permanece relevante para o município de Franco da Rocha, devendo ser considerada como prioridade das ações em saúde sexual e reprodutiva para que pessoas gestantes munícipes tenham acesso à um cuidado integral e equitativo, alcançando a autonomia em seus processos de parto e nascimento, bem como forma de combate direto à violência obstétrica.


Assuntos
Cuidado Pré-Natal , Parto Humanizado , Direitos Sexuais e Reprodutivos , Autonomia Pessoal , Parto , Violência Obstétrica
8.
São Paulo; s.n; 2022. 115 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362380

RESUMO

Introdução: A saúde sexual e reprodutiva dos adolescentes é uma conquista histórica sustentada no desenvolvimento dos Direitos Humanos. É fundamental compreender o contexto geral de IST dos territórios e o comportamento sexual desse público para fundamentar as políticas de prevenção. Objetivo: Descrever a situação de saúde sexual com relação às IST e, em especial, da HIV/aids na população jovem e adolescente entre 12 e 29 anos residente no município de Franco da Rocha. Método: Foi utilizada metodologia conjunta de levantamento de indicadores de saúde junto à Secretaria de Saúde de Franco da Rocha com relação às IST e levantamento qualitativo de informações com informanteschave da assistência à saúde do município. Resultados: Foi detectada alta prevalência de IST na população jovem e adolescente no município de Franco da Rocha. Há prevalência de casos novos de HIV/aids em jovens entre 18 e 25 anos, em especial no público HSH, e taxas crescentes de detecção em adolescentes com menos de 18 anos. A população jovem apresenta uso inconsistente de preservativos, altos índices de exposição ao vírus, alta procura por PrEP e PEP e boa adesão ao tratamento com antirretrovirais. A população heterossexual, masculina e feminina, apresente pouca percepção de risco. Conclusão: Para que as campanhas de prevenção tenham sucesso, mostra-se urgente que estudos sejam feitos para aprofundar os motivos de não adesão a preservativos e tratamentos, entre a população HSH, discriminando as especificidades de comportamentos de gays, trans e profissionais do sexo, mas também e sobretudo entre a população heterossexual, masculina e feminina.


Assuntos
Infecções Sexualmente Transmissíveis , Adolescente , Saúde Reprodutiva , HIV , Cidades
9.
São Paulo; s.n; 2022. 85 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362383

RESUMO

Introdução: A vulnerabilidade social é um fenômeno multidimensional que se configura numa sociedade pautada pela desigualdade social, que dificulta e agrava as condições de vida dos grupos populacionais que não dispõem de mecanismos para enfrentar os riscos sociais aos quais são submetidos. A exposição a tais situações acentua a probabilidade do sofrimento mental dessa população. O Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e a rede de atenção psicossocial (RAPS), representam um marco democrático ao garantir acesso universal ao cuidado psicossocial e as medidas de proteção socioassistencial à população. A articulação intersetorial, e o trabalho em rede, visam promover a corresponsabilização e ações de cuidado em conjunto para o enfrentamento e resolução dos problemas de saúde e sociais da sociedade. Objetivo: Identificar e analisar as estratégias em rede, e de articulação intersetorial, utilizadas pela RAPS e o SUAS do município de Franco da Rocha durante a pandemia de Covid-19, para o cuidado psicossocial de pessoas vivendo situações de vulnerabilidade ou risco psicossocial. Método: Estudo de caso, foram realizadas 15 entrevistas semiestruturadas com profissionais e gestoras do município do SUAS e da RAPS. Os dados coletados foram transcritos, ordenados e analisados em três categorias de análise. Resultados: As situações de vulnerabilidade social e sofrimento mental foram evidenciadas pelo aumento das situações de fome e perda de renda, e do crescimento dos casos de ansiedade no território. Observou-se que essas demandas assim como, a vulnerabilidade temporária e as implicações do luto em decorrência da Covid-19, tornaram-se presentes em ambas as redes, sendo necessário que desenvolvessem ações de cuidado em conjunto por meio do trabalho em rede e da articulação intersetorial para assegurar a integralidade do cuidado aos usuários. Embora esse trabalho esteja sendo construído e fortalecido no município, algumas dificuldades foram identificadas pelos profissionais nessa articulação. Conclusão: A atuação do SUAS e da RAPS contribuíram para atenuar o agravamento das situações de sofrimento mental e vulnerabilidade social que tiveram um aumento significativo nesse período. Fortalecer o trabalho em rede e a articulação intersetorial entre as redes a partir da criação de novos espaços de encontro para a pactuação de ações de cuidado em conjunto é fundamental para ampliar as ações de cuidado e proteção social no município.


Assuntos
Saúde Mental , Vulnerabilidade Social , COVID-19 , Apoio Social , Colaboração Intersetorial
10.
São Paulo; s.n; 2022. 104 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362386

RESUMO

Introdução: Protagonistas também dos direitos sexuais e reprodutivos, adolescentes e jovens integram grande parte dos índices de IST e outras vulnerabilidades de saúde e sexuais, como a gravidez precoce. Objetivo: O estudo buscou descrever a situação de saúde sexual com relação às IST e, em especial da sífilis, da população de 12 até 24 anos (adolescentes e jovens) do município de Franco da Rocha, com foco nos comportamentos de risco e a análise de perfis de gênero e sexualidade dos infectados, considerando o impacto da covid-19 nesses. Métodos: Através de parceria estabelecida entre a Secretaria de Saúde do Município de Franco da Rocha e o Instituto de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, desenvolveu-se uma pesquisa utilizando-se de metodologia conjunta de levantamento de indicadores de saúde junto à Secretaria de Saúde do Município de Franco da Rocha com relação às IST; e levantamento qualitativo de informações com informantes-chave da gestão e assistência à saúde deste município. Resultados: Os resultados detectaram alta incidência de IST na população do município. A sífilis se mostrou mais alta entre mulheres jovens entre 15 e 30 anos, detectadas com a doença na gestação; entre os HSH na faixa etária de 18 a 25 anos e adultos de 30; e entre homens heterossexuais, que representam o público de mais difícil adesão ao tratamento devido à baixa testagem em rotinas médicas e de saúde, falta de autopercepção de risco, pouca frequência nos serviços e não priorização do tratamento. Conclusões: A sífilis tem alta incidência entre a população jovem que não adere ao uso de preservativo em todas as relações sexuais, principalmente em caso de parceria fixa, além disso, muitas vezes o público HSH (gay e travesti) não se protege, uma vez que perdeu o receio do diagnóstico positivo para o HIV, tornando-os assíduos usuários de PEP e colocando-os em emergente risco para outras IST, como a sífilis. Dos principais impactos da covid-19, pode-se ressaltar a queda abrupta de testes rápidos, embora apareça uma nova demanda jovem por preservativo e lubrificante, que tomou conhecimento do serviço especializado (CTA/COAS) devido à vacinação contra a covid-19.


Assuntos
Sífilis , Infecções Sexualmente Transmissíveis , Saúde Reprodutiva , Saúde do Adolescente , Adulto Jovem
11.
São Paulo; s.n; 2022. 94 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362388

RESUMO

Introdução: A Sífilis é uma das IST's mais antigas já datadas, ela é causada pela bactéria Treponema pallidum. Como condição de diagnóstico e tratamentos bem delimitados, é uma infecção curável, mas que segue sendo um grande problema de saúde pública, como quando ocorre na sua modalidade gestacional, que não tratada ou tratada de forma inadequada pode ser transmitida verticalmente para o feto, podendo desencadear má formação congênita. Objetivo: Contribuir para produção de conhecimento e dar base científica para ações que visem a diminuição da sífilis congênita no território de Franco da Rocha e conhecer a percepção dos profissionais da atenção básica sobre a sífilis congênita e quais são os principais desafios que enfrentam para combatê-la e fornecer um bom atendimento aos usuários. Metodologia: Trata-se de um estudo qualitativo, que parte de duas etapas metodológicas. As entrevistas com gestores e profissionais de saúde, que contribuíram para subsidiar formas de entender a dinâmica dos profissionais, assim como apreender as ações em saúde no município, principalmente as relacionadas ao pré-natal e ao enfrentamento da sífilis congênita e a busca de boas práticas para subsidiar a discussão. Toda análise e interpretação dos materiais de entrevista teve como embasamento teórico a perspectiva sócio-histórica, que entende as narrativas dos sujeitos como sendo construções históricas. Resultados e Discussão: Os resultados estão organizados em categorias, tais surgiram a partir da organização das respostas dos entrevistados às perguntas que compõem o roteiro de entrevista. Cada agrupamento profissional teve um roteiro de entrevista personalizado, mas com questões comuns a todos os grupos. As perguntas possibilitaram a leitura da realidade do município de Franco da Rocha em relação à Sífilis, através das vivências dos profissionais de saúde, tanto da ponta do serviço, quanto da gestão. Conclusão: O trabalho possibilitou que se discutisse as barreiras e as fortalezas impostas a realização de um bom pré-natal, e, por consequência, a um bom acompanhamento (diagnóstico e tratamento) da sífilis gestacional. Tais versaram sobre como o desempenho profissional (alta rotatividade e adequação de diretrizes e protocolos clínicos), questões sociais, como o machismo, as desigualdades estruturantes, como o acesso aos serviços, educação sexual e permanente, atravessam a questão da sífilis congênita e aponta para nortes de atuação.


Assuntos
Cuidado Pré-Natal , Sífilis , Controle de Doenças Transmissíveis , Sífilis Congênita , Reinfecção
12.
São Paulo; s.n; 2022. 53 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362389

RESUMO

Introdução: A pandemia de Covid-19 no Brasil se consolida como um fenômeno cada vez mais complexo à medida que seu curso avança. Nesse sentido, um dos segmentos populacionais mais afetados desde o início dos casos de infecção pelo novo coronavírus são os idosos. O envelhecimento populacional acontece de forma heterogênea e apresenta diversas nuances que estão relacionadas aos determinantes sociais de saúde, que impactam diretamente nos dados de mortalidade nessa faixa etária, sobretudo no período pandêmico, com todas suas particularidades. Objetivo: Analisar o impacto direto e indireto da pandemia de Covid-19 no excesso de mortalidade em idosos residentes em Franco da Rocha ­ SP, comparando a mortalidade em idosos no ano de 2019 com os anos de 2020 e 2021. Metodologia O modelo de estudo epidemiológico descritivo foi considerado o mais apropriado para investigar a temática em questão, para isso, coletados dados secundários disponíveis no Sistema de Informação em Mortalidade (SIM-SUS). Foram comparados os dados de mortalidade da população maior de 60 anos de idade no município de Franco da Rocha ­ SP entre janeiro de 2019 e julho de 2021. Resultados e Discussão: Os resultados apontam a presença de excesso de mortalidade por causas básicas específicas nos anos de 2020 e no primeiro semestre de 2021 quando se exclui os óbitos por Covid-19, com impacto substancialmente maior nos segmentos raciais de raça/cor preta e parda, onde os óbitos são oito e seis vezes maior do que em brancos, respectivamente. Conclusão: Conclui-se que entre os idosos pretos e pardos, a precarização dos aspectos socioeconômicos tem impacto ainda maior nas condições de saúde. O município vivencia um momento de complexidade em lidar com doenças crônicas presentes na população idosa, no que diz respeito aos atendimentos de demandas que se concluem em óbitos.


Assuntos
Mortalidade , Assistência Integral à Saúde , COVID-19 , Disparidades nos Níveis de Saúde
13.
São Paulo; s.n; 2022. 55 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362394

RESUMO

A participação social, ou participação da comunidade, é um princípio organizativo do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro e uma parte importante no processo de Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS). No entanto, é comum que outros atributos tenham mais importância sobre a participação social. Atualmente é crescente o interesse mundial na participação social em ATS. Com a existência de uma demanda local para entender a participação social na cidade de Franco da Rocha no estado de São Paulo, bem como os avanços na participação social na ATS brasileira, o objetivo deste trabalho foi capturar o status atual do engajamento público em Franco da Rocha e o relacionamento com a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (CONITEC). Adotou-se como método um questionário estruturado online com cidadãos de Franco da Rocha. Os resultados mostraram que a população de Franco da Rocha tem conhecimento do que é a participação social e sua importância para a ATS, mas tem pouco interesse em mostrar suas experiências, o que aponta para a falta de uma cultura cidadã. Além disso, a Conitec avançou em parte das principais lacunas apontadas na pesquisa, mas tem muito mais a percorrer. Os principais desafios identificados estão relacionados à construção de um modelo de participação social adequado à realidade brasileira.


Assuntos
Participação do Paciente , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Participação Social , Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde
14.
São Paulo; s.n; 2022. 65 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362399

RESUMO

Introdução: Reconhece-se o dever do poder público em adotar políticas e ações necessárias para promover e garantir a Segurança Alimentar e Nutricional. Nos últimos anos a população brasileira tem se deparado com o aumento da situação de insegurança alimentar e nutricional o que tem impacto sobre a Atenção Básica à Saúde e as demandas dos usuários nas Unidades Básicas, o que torna imprescindível promover à nível local discussões sobre as ações de alimentação e nutrição nesse nível de atenção. O presente trabalho tem como objetivo geral investigar a inserção da Segurança Alimentar e Nutricional na organização do cuidado em saúde em uma Unidade Básica de Saúde no município de Franco da Rocha/SP. Metodologia: Tratase de um estudo transversal e de natureza qualitativa. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas de forma remota com informantes-chaves de uma UBS do município. As transcrições das entrevistas foram analisadas mediante Análise Temática. Resultados: Percebeu-se que a Insegurança Alimentar e Nutricional está presente no território e faz parte das demandas ao serviço de saúde. No entanto é identificada uma concepção de alimentação e nutrição reducionista que não é capaz de dar resposta à complexidade da situação alimentar. Entende-se que a atenção nutricional, considerando sua organização, a promoção da alimentação adequada e saudável, a vigilância alimentar e nutricional e a formação dos trabalhadores não tem considerado a SAN como um dos aspectos orientadores do cuidado. Mas identifica-se, a partir de ações já estabelecidas na UBS, potencialidades para atuação visando à garantia do Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável. Conclusão: Faz-se necessário que os trabalhadores estejam esclarecidos e capacitados para atuar com uma visão ampliada de saúde, sob o paradigma da alimentação adequada e saudável enquanto direito, de forma que sua atuação e as ações propostas sejam capazes de dar respostas efetivas à complexidade da situação alimentar e nutricional no território.


Assuntos
Atenção Primária à Saúde , Saúde Pública , Abastecimento de Alimentos , Sistema Único de Saúde , Ciências da Nutrição
15.
São Paulo; s.n; 2022. 84 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362405

RESUMO

Introdução: a População em Situação de Rua (PSR) é um grupo populacional heterogêneo e crescente no Brasil, excluído de direitos sociais básicos, tais como saúde, educação, trabalho, moradia, lazer e segurança, e frequentemente relegada a invisibilidade. A Política Nacional para a População em Situação de Rua representou uma importante iniciativa nacional de abordagem a este grupo. No contexto atual de pandemia de Covid-19, é de grande relevância a discussão acerca das ações de cuidado ofertadas a este grupo social, historicamente negligenciado e marginalizado, e que teve um aumento exponencial neste período. A RAPS e o SUAS abrangem equipamentos essenciais na atenção dessa população, como o Centro POP e o CAPSad, caracterizando a porta de entrada da PSR para as demais políticas públicas. Objetivo: identificar as estratégias de rede e de articulação intersetorial entre os serviços da RAPS e do SUAS utilizadas pelo município de Franco da Rocha, para o cuidado psicossocial de pessoas em situação de rua durante a pandemia de Covid19. Metodologia: estudo de caso, no qual foram realizadas catorze (14) entrevistas semiestruturadas de maneira remota, com gestores e profissionais de serviços da RAPS e do SUAS, tanto da atenção básica e proteção social básica, como da atenção especializada e proteção social de média complexidade e responsáveis pela gestão de cada sistema de atenção. Os dados coletados foram transcritos, ordenados e analisados segundo três categorias: funcionamento e organização dos serviços, trabalho em rede e articulação intersetorial, e cuidado ofertado para PSR no contexto de pandemia de Covid-19 Conclusão: foi possível concluir que a atenção básica e a proteção social básica desempenham papel secundário na atenção à esta população; há falta de planejamento intersetorial de linhas de cuidado; não existem trabalhos de rastreamento de problemas de natureza psicossocial e de sofrimento mental junto a PSR; não há busca ativa deste grupo social por outros serviços além do Centro Pop; as relações entre os profissionais acontecem à nível pessoal, não institucional.


Assuntos
Política Pública , Pessoas em Situação de Rua , Integralidade em Saúde , Colaboração Intersetorial , Planejamento em Saúde , Serviços de Saúde Mental
16.
São Paulo; s.n; 2022. 158 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362415

RESUMO

Introdução: Durante a pandemia de COVID-19, as autoridades divulgaram amplamente a vacinação em massa e as medidas não farmacológicas como o uso de máscaras, higiene das mãos e o distanciamento social para prevenção e controle da transmissão do vírus. O distanciamento social é uma política que tem como foco diminuir a aglomeração de pessoas, de forma que os estabelecimentos e comércios não permanecem abertos para estimular que a população fique em casa. Conforme o agravamento da pandemia, um grupo social em específico tornou-se cada vez mais enfatizado: os jovens. Isso se deu tanto por um foco nos seus comportamentos de riscos, como também no fenômeno de rejuvenescimento da doença. A adesão ou não a estas políticas públicas para mitigação da disseminação da doença tem a ver com as condições de vidas das pessoas, assim como se relaciona com as percepções de risco. A literatura aponta a importância de ações de comunicação de risco para estimular a participação e o engajamento das juventudes, por isso é importante compreender os diferentes modos de se relacionarem com os riscos, como também de tomarem decisões diante desses fenômenos Objetivo: Analisar as percepções de risco, significados e atitudes relacionados às práticas de distanciamento social dos jovens de 18 a 29 anos de Franco da Rocha. Metodologia: Trata-se de um estudo exploratório-descritivo, de abordagem qualitativa com referencial teórico pautado no construcionismo social. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com cinco jovens de 18 a 24 anos moradores da cidade de Franco da Rocha. Resultados: Todos os participantes concordaram quanto à importância do distanciamento social para a contenção da COVID-19. Porém, eles trouxeram posicionamentos críticos quanto ao planejamento das políticas, apontando para os impactos na renda, o aumento do desemprego e de famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Observou-se que a maioria dos entrevistados compreende que os jovens tendem a subestimar os riscos no que se refere aos comportamentos de não adesão ao distanciamento social. No entanto, cabe refletir sobre fatores como subjetividades, oportunidades de lazer, condições de habitação, estrutura familiar, saúde mental, trabalho e renda para as juventudes na contemporaneidade. Conclusão: O debate sobre o distanciamento social é complexo, pois se trata de uma medida fundamental para o controle da COVID-19, mas que pode acarretar consequências graves para a população em situação de vulnerabilidade social se não for implementada em conjunto com ações que combatam as desigualdades sociais. De forma complementar, a discussão sobre as juventudes e o distanciamento social também não pode ser simplista, visto que se trata de uma população diversa, que deve ser escutada em suas singularidades, levando em conta seus contextos de vida e recortes de raça/cor, gênero e classe social.


Assuntos
Adulto Jovem , Distanciamento Físico , COVID-19 , Percepção Social , Comunicação em Saúde
17.
São Paulo; s.n; 2022. 84 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362419

RESUMO

Introdução: A participação social na Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) é um tema de crescente interesse. Há consenso na literatura em apontar a importância de aumentar o papel da contribuição pública para o processo decisório nesse campo. Com a pandemia de Covid-19 o debate em torno das tecnologias em saúde parece ter ganhado mais atenção. Ao mesmo tempo, a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (CONITEC) está trabalhando em novos mecanismos para melhorar a participação social. Objetivo: O objetivo deste trabalho é identificar os métodos utilizados ao redor do mundo para a implementação da participação social em ATS e também registrar os impactos observados, as barreiras e os facilitadores deste processo. Metodologia: Foi realizado um perfil rápido de evidências que utilizou buscas sistemáticas em várias bases de dados por revisões sistemáticas relevantes. Essas revisões deveriam descrever intervenções para engajar o público na tomada de decisões em ATS em qualquer fase e também incluir impactos, barreiras, facilitadores ou recursos utilizados no processo. Resultados: Os resultados incluem uma ampla gama de métodos usados para engajar o público. No entanto, mesmo com o consenso sobre os benefícios do uso de algum tipo de participação social, os estudos encontram dificuldades com mensurações de impactos do engajamento no médio e longo prazo, bem como com mensurações de eficácia. Há também uma lista de barreiras e facilitadores encontrados para o envolvimento. A grande maioria dos estudos foi realizada em países de alta renda, principalmente na Europa e na América do Norte. Este estudo também apresenta os recursos utilizados no processo de engajamento, lacunas de conhecimento na área e considerações sobre equidade e sobre o processo de implementação. Conclusão: Não há dúvidas de que envolver o público na tomada de decisões em ATS é benéfico. Recursos financeiros e humanos, investimento de tempo e trabalho e uma cultura organizacional aberta ao paciente, suas vivências e opiniões são fatores essenciais para a construção de métodos de participação social em ATS adequados e potentes. O Brasil enfrenta o desafio de incluir a sociedade no processo de incorporação de tecnologias em seu sistema universal de saúde em um país diverso, desigual e populoso. A CONITEC está em processo de renovação de seus mecanismos de participação social e a maioria das mudanças está em consonância com os achados deste estudo. Ao mesmo tempo, ainda há necessidade de pesquisas na área para auxiliar no desenvolvimento de métodos de mensuração de eficácia e registro de resultados desse tipo de intervenção.


Assuntos
Participação do Paciente , Avaliação da Tecnologia Biomédica , Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde , Participação da Comunidade , Participação Social
18.
São Paulo; s.n; 2022. 73 p.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ISACERVO, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1362445

RESUMO

Introdução: A COVID-19 foi inicialmente notificada em Wuhan, uma província chinesa em 2019 e espalhou-se pelo mundo até que, em 11 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarou como uma pandemia. A partir disso, dezenas de medidas sanitárias foram tomadas a fim de mitigar a disseminação do vírus, inclusive o fechamento das escolas para evitar a transmissão da COVID-19 na comunidade escolar. Contudo, essa medida teve consequências na saúde e desenvolvimento infantil, assim, alguns países começaram a reabertura dos estabelecimentos implementando medidas sanitárias para prevenção da COVID-19. Objetivo: Identificar estratégias para a mitigação do SARS-COV-2 na comunidade escolar no contexto do retorno das atividades presenciais. Metodologia: Foi elaborado um perfil rápido de evidências, por meio da busca nas bases de dados PubMed, BVS, Cochrane, Mcmaster, GIN, Google Scholar, Health Systems Evidence e Global research of Coronavirus Disease, utilizando-se os termos COVID19, Sars-Cov-2, Escola, Retorno à escola, Professores escolares/Docentes, Estudantes/Alunos. Para a coleta de dados os estudos encontrados foram inicialmente triados e verificados quanto a elegibilidade, de forma independente por dois avaliadores, e as divergências resolvidas por um terceiro avaliador. A seguir os trabalhos selecionados foram lidos na íntegra, os dados foram extraídos por um avaliador e checados por um segundo avaliador e divergências foram resolvidas por consenso. Os dados foram extraídos através do Planilhas Google, e analisados tendo como base as categorias presentes no modelo teórico da revisão de escopo de KRISHNARATNE et al (2020). Resultados: Foram incluídos 16 documentos (3 revisões sistemáticas, 3 perfis rápidos de evidências, 1 perfil de evidências vivo, 1 revisão de escopo e 8 Guias). Os dados coletados foram classificados em três categorias. As Medidas Organizacionais informam sobre procedimentos que devem ser implementados nos espaços e na execução de tarefas para evitar ou manter o contato seguro e as Medidas de Vigilância sobre os procedimentos a serem seguidos quando há casos suspeitos ou confirmados, com o propósito de reduzir a disseminação do vírus, dentro e fora da comunidade. Estas duas categorias estiveram presentes em 93,75% dos estudos. As Medidas Ambientais e Estruturais, presentes em 85,7%, são estratégias que indicam necessidades de mudanças físicas nos ambientes para mitigação da transmissão do vírus. Conclusão: O presente trabalho, apesar de suas limitações impostas pelo desenho de um perfil de evidências, demostrou ser relevante ao identificar as medidas sanitárias de segurança a serem implementadas nas escolas e suas principais barreiras e facilitadores a fim de garantir um retorno seguro às aulas presenciais.


Assuntos
Gestão de Desastres , Retorno à Escola , COVID-19 , Estudantes , Professores Escolares
19.
Bauru; s.n; 2022. 22 p. ilus, tab.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, CONASS, SESSP-ILSLPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLACERVO, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1371766

RESUMO

A Cryptococose é uma doença fúngica, oportunista, de caráter ubiquitária e crescente em número de casos nos últimos anos. Considerada atualmente como um problema de saúde pública, pode ocasionar doença em muitos hospedeiros, inclusive no homem. A infecção ocorre em decorrência da inalação de basidiósporos ou leveduras desidratadas infectantes presentes no ambiente. O gênero Cryptococcus caracteriza-se por ser uma levedura normalmente encapsulada, responsável por infecção sistêmica, causada principalmente pelas espécies, Cryptococcus neoformans e Cryptococcus gattii, comumente encontrada em substratos de origem animal, como excretas de aves, vegetais, e em troncos ocos de árvores, embora, com o avanço dos estudos, o envolvimento de outras espécies nas infecções humanas venha sendo cada vez mais relatada.Com o objetivo de conhecer a ecoepidemiologia do Cryptococcus spp em 30 amostras de material putrefado de árvores e 30 amostras excretas de aves de 10 locais representativos no perímetro do Instituto Lauro de Souza Lima-Bauru, buscamos conhecer a ecoepidemiologia desses agentes e posterior, profilaxia, minimizando riscos de contágio. As amostras foram processadas e semeadas em placas contendo ágar semente de níger e ágar Sabouraud Dextrose com cloranfenicol, incubadas a temperatura de 30°C e observadas diariamente por dez dias. O crescimento de leveduras com características de Cryptococcus spp foram avaliadas pelo aspecto colonial nos meios de cultivo e pela realização de exames diretos com tinta da China e com lactofenol azul de algodão através da análise dos aspectos micromorfológicos. As leveduras analisadas foram submetidas as provas bioquímicas como; produção de urease, produção de fenoloxidase no ágar semente de níger, termotolerância a 37°C e quimiotipagem em ágar CGB (L-canavanina-glicina-azul de bromotimol). Os dados obtidos foram avaliados estatisticamente pelo Teste exato de Fisher e pelo teste qui-quadrado, adotando o nível de significância de 5% e demonstrando crescimento de C.neoformans, C.gattii e C. Laurentii (Papiliotrema laurentii), concluindo que esses fungos podem infectar o ambiente.


Cryptococcosis is a fungal, opportunistic and ubiquitous disease which is increasing in number of cases in recent years. Currently considered as a public health problem, it can cause disease in many hosts, including humans. The infection occurs as a result of inhalation of basidiospores or dehydrated infective yeasts present in the environment. The genus Cryptococcus is characterized as a normally encapsulated yeast, responsible for systemic infection, mainly caused by the species, Cryptococcus neoformans and Cryptococcus gattii, commonly found in substrates of animal origin, such as Bird droppings, vegetables, and in tree hollows, although, with the advancement of studies, the involvement of other species in human infections has been increasingly reported. With the aim of knowing the ecoepidemiology of Cryptococcus spp in 30 samples of putrefying material from trees and 30 samples of bird droppings from 10 representative sites in the Instituto Lauro de Souza Lima-Bauru (ILSL), we sought to know the ecoepidemiology of these agents and later, prophylaxis, minimizing the risk of contagion. The samples were processed and seeded on plates containing niger seed agar and Sabouraud Dextrose agar with chloramphenicol, incubated at 30°C and observed daily for ten days. The growth of yeasts with characteristics of Cryptococcus spp were evaluated by the colonial appearance in the fungus culture and by performing direct examinations with China ink and cotton blue lactophenol through the analysis of micromorphological aspects. The analyzed yeasts were submitted to biochemical tests such as; urease production, phenoloxidase production on niger seed agar, thermotolerance at 37°C and chemotyping on CGB agar (L-canavanine-glycine-bromothymol blue). The data obtained were statistically evaluated using Fisher's exact test and the chi-square test, adopting a significance level of 5%. Cryptococcus neoformans, Cryptococcus gattii and Cryptococcus laurentii were isolated.


Assuntos
Aves , Criptococose/microbiologia , Cryptococcus , Prevenção de Doenças , Cryptococcus neoformans , Cryptococcus gattii , Ecoepidemiologia
20.
Bauru; s.n; s.n; 2022. 32 p. graf.
Tese em Português | Sec. Est. Saúde SP, CONASS, HANSEN, Hanseníase, SESSP-ILSLPROD, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ILSLACERVO, Sec. Est. Saúde SP, SESSP-ESPECIALIZACAOSESPROD, Sec. Est. Saúde SP | ID: biblio-1371628

RESUMO

Introdução A hanseníase é uma doença infecciosa crônica, causada peloMycobacterium leprae, que se manifesta na pele e pode invadir o sistema nervoso periférico do paciente. O cultivo de seu agente etiológico em meios de cultura artificiaisou celulares ainda é um desafio e obstáculo para estudos relacionados à sua microbiologia. Para avaliar a viabilidade de células bacterianas, utiliza-se corantes fluorescente, como a monoazida de propídeo (PMA). O corante penetra somente nas células que estão com a membrana celular comprometida e reage com fração de hidrocarboneto a fim de resultar em uma modificação permanente do DNA. Objetivo Padronizar a utilização do corante monoazida de propídeo (PMAxx™) em combinação com a técnica de reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT qPCR) para detecção da viabilidade do M. leprae. Metodologia Diferentes concentrações de PMAxx™ foram adicionadas a 250µl de suspensão bacilar purificada, proveniente de coxim plantar de camundongos previamente infectados. As amostras foram incubadas no escuro por diferentes tempos. Após a incubação, foram fotoativadas por exposição em lâmpada halógena de 650 W. Foram avaliados os parâmetros de concentração bacilar, tempo de incubação no escuro, tempo de exposição à luz e concentração do PMAxx™. O DNA do bacilo foi extraído utilizando-se um kit comercial e amplificadas por RT qPCR, com uso de primers específicos para as regiões Specific Repetitive Element (RLEP) do DNA de M. leprae Resultados Não houve diferença significativa no valor do ΔCt em nenhuma das concentrações de bacilos, indicando que não foi possível fazer a discriminação entre células vivas e inviáveis. O tempo ideal de incubação no escuro foi de 60 minutos, pois apresentaram uma diferenciação significativa do ΔCtvivo-morto com PMAxxTM e ΔCtmorto com e sem PMAxxTM. Em relação ao tempo de fotoativação, o maior valor de ΔCt observado foi submetido a sete minutos em exposição à luz. A concentração do PMAxxTM que apresentou uma diferenciação de ΔCt maior foi de 25µL. Discussão Os resultados mostram que o PMAxx™ tem uma boa eficácia com outras bactérias, mas ainda apresenta dificuldades em intercalar ao DNA de M. leprae. O uso do corante após análise com RT qPCR/RLEP para o bacilo é um método que ainda necessita de ajustes nos parâmetros como purificação da amostra, tempo de exposição e fotoativação. Esses dados ainda são preliminares e não inviabilizam a perspectiva de novos experimentos a partir dos ajustes nos parâmetros já avaliados.


Introduction Leprosy is a chronic infectious disease, caused by Mycobacterium leprae, which manifests itself in the skin and may invade the peripheral nervous system of the patient. Culturing its etiologic agent in artificial or cell culture media is still a challenge and obstacle for studies related to its microbiology. To assess the viability of bacterial cells, fluorescent dyes such as propidium monoazide (PMA) are used. The dye penetrates only cells with a compromised cell membrane and reacts with a hydrocarbon fraction to result in a permanent modification of the DNA Objective To standardize the use of the dye propidium monoazide (PMAxx™) in combination with the real-time polymerase chain reaction (RT qPCR) technique for detection of M. leprae viability Methodology Different concentrations of PMAxx™ were added to 250µl of purified bacillary suspension from plantar cushion of previously infected mice. The samples were incubated in the dark for different times. After incubation, they were photoactivated by exposure in a 650 W halogen lamp. The parameters of bacillary concentration, incubation time in the dark, light exposure time and concentration of PMAxx™ were evaluated. The bacillus DNA was extracted using a commercial kit and amplified by RT qPCR using specific primers for the Specific Repetitive Element (RLEP) regions of the M. leprae Results There was no significant difference in the ΔCt value at any of the bacilli concentrations, indicating that discrimination between live and non-viable cells was not possible. The optimal incubation time in the dark was 60 minutes, as they showed a significant differentiation of ΔClive-dead with PMAxxTM and ΔCtdead with and without PMAxxTM. Regarding photoactivation time, the highest value of ΔCt observed was subjected to seven minutes in light exposure. The concentration of PMAxxTM that showed a greater differentiation of ΔCt was 25µL Discussion The results show that PMAxx™ has good efficacy with other bacteria, but still presents difficulties in intercalating to M. leprae DNA. The use of the dye after analysis with RT qPCR/RLEP for the bacillus is a method that still needs adjustments in parameters such as sample purification, exposure time and photoactivation. These data are still preliminary and do not preclude the prospect of new experiments based on adjustments in the parameters already evaluated.


Assuntos
Hanseníase/microbiologia , Mycobacterium leprae/crescimento & desenvolvimento , Corantes Fluorescentes
SELEÇÃO DE REFERÊNCIAS
DETALHE DA PESQUISA