Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Transmission, serologic and tissue responses in chickens vaccinated with Mycoplasma gallisepticum F strain (MG-F) / Transmissão, resposta sorológica e tecidual de poedeiras vacinadas com Mycoplasma gallisepticum cepa F

Machado, Leandro S; Santos, Felipe F. dos; Santos, Lídia M. M. dos; Tortelly, Rogério; Pimentel, Jorge C; Sesti, Luiz; Pereira, Virgínia L. A; Nascimento, Elmiro R.
Pesqui. vet. bras; 36(5): 401-404, 2016. tab, graf
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-334297

Resumo

MG-F protects chickens from MG Mycoplasmosis and monitoring is done by serology (SAR and ELISA) and PCR. Histopathology is used to evaluate bird response to MG. This study evaluated MG-F profile vaccination in SPF chicken. This trial used 100 chickens, being 40 unvaccinated (G1), 40 eye-drop vaccinated at 8 weeks of age with MG-F ( Ceva Animal Health , São Paulo , SP , Brazil ) (G2) and 20 immunized by contact (G3) . Samples were obtained on the 8th, 12th, 15th, 18th, 20th and 24th week for SAR, ELISA and PCR. Fragments of trachea and air sac, for microscopy, were got after necropsies on the 15th and 24th week. Up to 12 weeks there was no significant difference among groups by SAR. SAR reactions appeared from the 15th week with these averages: G1 (1.7, 1.76 , 0.1, 0.15) , G2 (7.81, 7.65, 8.25, 6.29) and G3 (8.1, 8.5, 9.5, 6.16), while by ELISA it occurred after the 18th week with optical densities averages: G1 (0.19, 0.14, 0.16) , G2 (0.47, 0.45, 0.41) and G3 (0.55, 0.51, 0.51) . Positivity in G3 by PCR occurred seven weeks after exposure. At the 15th week the air sac score means were 0.20, 0.55, and 0.32 and 24th week were 0.15, 0.80 and 0.66 (p>0.05). For trachea, G2 (0.48) yielded higher score average than G1 (0.10) and G3 (0.00) on the 15th week. Changes in G3 were seen only at 24th week, being this average (1.00) significantly different (p<0,05) from G1 (0.08) and G2 (0.46). SAR and PCR detected MG-F in G3 earlier than ELISA. Higher tracheal changes for G2 and G3 as compared to G1 could be ascribed to MG-F vaccine infection.(AU)
Mycoplasma gallisepticum cepa F (MG-F) é altamente utilizada em vacinação de poedeiras. MG-F confere bons níveis de proteção às galinhas, deslocando MG de campo ou diminuindo o número deles no trato respiratório. Soroaglutinação Rápida (SAR), ELISA e PCR são testes no monitoramento da micoplasmose, enquanto a histopatologia, mesmo não sendo rotineira, é usada para avaliar a resposta das aves à infecção por MG. O objetivo deste estudo foi avaliar a transmissibilidade, soroconversão e alterações teciduais de MG-F em galinhas. Um total de 100 galinhas SPF foi utilizado, sendo 40 delas não vacinadas (G1), 40 vacinadas na 8ª semana de idade com MG-F (Ceva Saúde Animal, São Paulo/SP, Brasil) (G2) e 20 imunizadas por contato com aves do G2 (G3). Soros e suabes traqueais foram obtidos na 8ª, 12ª, 15ª, 18ª, 20ª, 24ª semana para monitoramento por SAR, ELISA e PCR. Fragmentos de traqueia e saco aéreo, para microscopia, foram feitas após necropsias na 15ª e 24ª semana. Até a 12ª semana não houve diferença significativa entre os grupos pela SAR. Houve reação a SAR a partir da 15ª semana com as seguintes médias: G1 (1,7; 1,76; 0,1; 0,15), G2 (7,81; 7,65; 8,25; 6,29) e G3 (8,1; 8,5; 9,5; 6,16), enquanto por ELISA a soroconversão ocorreu a partir da 18ª semana com médias de densidades óticas de G1 (0,19; 0,14; 0,16), G2 (0,47; 0,45; 0,41) e G3 (0,55; 0,51; 0,51). Todas as aves do G3 apresentaram positividade pela PCR sete semanas após exposição. Não houve diferença significativa entre as medias dos escores de saco aéreo entre os grupos, na 15ª semana (0,20; 0,55; 0,32) e 24ª semana (0,15; 0,80 e 0,66). Em relação à traqueia, G2 apresentou média maior na 15ª semana (0,48) que G3 (0,00) e G1 (0,10). Alterações em G3 foram observadas somente na 24ª semana onde as médias foram de 0,08(G1); 0,46 (G2) e 1,00 (G3), havendo significância (p<0,05) entre G1 e G3. SAR e PCR foram capazes de detectar a transmissão de MG-F de forma precoce em relação ao ELISA. [...](AU)
Biblioteca responsável: BR1.1
Localização: BR68.1