Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Screening of Passiflora species for reaction to Cowpea aphid-borne mosaic virus reveals an immune wild species

da Conceição Maciel, Scheila; Hiroshi Nakano, Daniel; Alberto Marques Rezende, Jorge; Lúcia Carneiro Vieira, Maria.
Sci. agric.; 66(3)2009.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-440379

Resumo

Cowpea aphid-borne mosaic virus (CABMV) is a potyvirus that causes the most serious virus disease of passion fruit crops in Brazil. It is transmitted by several species of aphids in a non-persistent, non-circulative manner. The reaction of 16 species of Passiflora to infection by mechanical inoculation with four Brazilian isolates of CABMV was evaluated under greenhouse conditions. Only P. suberosa, a wild species, was resistant to infection by all virus isolates, in two independent assays. P. suberosa grafted onto infected P. edulis f. flavicarpa did not develop symptoms; neither was the virus detected by RT-PCR in the upper leaves, suggesting that this species is immune to CABMV.
O vírus do mosaico do caupi (Cowpea aphid-borne mosaic virus - CABMV) é um potyvirus que causa uma das mais importantes doenças do maracujazeiro no Brasil. O vírus é transmitido por diversas espécies de afídeos de maneira não persistente, não circulativa. A reação de 16 espécies de Passiflora à infecção com quatro isolados brasileiros do CABMV, por meio de inoculação mecânica foi avaliada em condições de casa-de-vegetação. Somente a espécie selvagem P. suberosa foi resistente à infecção com todos os isolados do CABMV, em dois ensaios independentes. Plantas de P. suberosa enxertadas em plantas de P. edulis f. flavicarpa infectadas com o CABMV também não desenvolveram sintomas da doença. O vírus também não foi detectado por RT-PCR nas folhas superiores das plantas, sugerindo que essa espécie é imune ao CABMV.
Biblioteca responsável: BR68.1