Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Prevalence of Oestrus ovis(Diptera: Oestridae) in sheep from the São Paulo Central region, Brazil

Fernanda da Silva, Bruna; Puglia Machado, Gustavo; Braga Izidoro, Thiago; Francisco Talamini do Amarante, Alessandro.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-441949

Resumo

The heads of 139 slaughtered sheep were examined with the aim of determining Oestrus ovis prevalence and infestation intensity in the central region of the State of São Paulo, Brazil. Heads from slaughtered sheep were examined and the first (L1), second (L2) and third (L3) O. ovis larval instars were recovered from the nasal and sinus cavities. O. ovislarvae were detected in 13.7% of the sheep analyzed. The monthly mean intensity of infestation ranged from 1 to 10.2 larvae per infested head, with general mean intensity of 4.5 larvae/infested head. Of the total of 85 larvae, 21.2% were L1, 37.6% L2 and 41.2% L3. In conclusion, all different O. ovis larvae instars were recovered from slaughtered animals, which demonstrates the existence of favorable climatic conditions for the fly activity and larval development of O. ovis in sheep raised in the Central region of the State of São Paulo.
Com o objetivo de determinar a prevalência e intensidade de infestação por larvas de Oestrus ovis na região Central do Estado de São Paulo, 139 cabeças de ovinos obtidas de um abatedouro foram examinadas. As larvas O. ovis foram recuperadas da cavidade nasal e seios frontais, identificadas de acordo com o estádio larval e quantificadas. As larvas de O. ovis foram detectadas em 13,7% das cabeças examinadas e a intensidade média mensal de infestação variou entre 1 a 10,2 larvas/cabeça infestada, com média geral de 4,5 larvas/cabeça infestada. Do total de 85 larvas recuperadas, 21,2% eram larvas de primeiro estádio (L1), 37,6% de segundo (L2) e 41,2% de terceiro (L3). Em conclusão, todos os diferentes instares larvais deO. ovis foram recuperados de animais abatidos, o que demonstra a existência de condições climáticas favoráveis para a atividade da mosca bem como o desenvolvimento larval em ovinos criados na região Central do Estado de São Paulo.
Biblioteca responsável: BR68.1