Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Paratrichodina africana (Ciliophora: Trichodinidae) of wild and cultured Nile tilapia in the Northern Brazil

Tavares-Dias, Marcos; da Costa Marchiori, Natália; Laterça Martins, Maurício.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-442066

Resumo

The present work morphologically characterizes Paratrichodina africana from the gills of wild and farmed Nile tilapia from Northern Brazil (eastern Amazonia). Ninety fish were captured for parasitological analysis in Macapá, State of Amapá, from a wetland area bathed by the Amazon River commonly called Ressaca do Zerão (n = 52), as well as from a local fish farm (n = 38). Wet smears of the skin and gills of the captured fish were air dried at room temperature and impregnated with silver nitrate by Klein's method for posterior examination of the adhesive disc structures. Total prevalence of parasitism was 16.6% (23% in fish from wetland and 7.8% in farmed fish). Characterized as a small-sized trichodinid, it presented the following measures: 33.2 ± 4.7 µm body diameter, 17.5 ± 2.1 µm adhesive disc, 10.0 ± 0.9 µm denticulate ring, and 22.6 ± 2.0 denticles. Paratrichodina africana reported in this study strongly resembles those described for other localities, but it differs by presenting greater body length. This is the fourth report of P. africana parasitizing a host fish.
O presente estudo descreve pela primeira vez Paratrichodina africana nas brânquias de tilápia do Nilo selvagem e de cultivo no Norte do Brasil (Amazônia oriental). Noventa peixes foram capturados em Macapá, Estado do Amapá, provenientes de uma área de várzea banhada pelo Rio Amazonas comumente conhecida como Ressacão Zero (n = 52) e de uma piscicultura local (n = 38) para análise parasitológica. Esfregaços do muco da pele e das brânquias foram secos á temperatura ambiente e impregnados com nitrato de prata pelo método de Klein para posterior análise das estruturas do disco adesivo e dentículos. A prevalência total do parasitismo foi de 16,6% (23% em peixes coletados da area de várzea e 7,8% em peixes de cultivo). Caracterizado como pequeno tricodinídeo apresentou diâmetro do corpo de 33, 2 ± 4,7 µm, disco adesivo de 17,5 ± 2,1 µm, anel denticulado de 10,0 ± 0,9 µm e 22,6 ± 2,0 dentículos. Paratrichodina africana relatada neste estudo se assemelha fortemente a registros prévios para a espécie, mas difere por apresentar maior tamanho do corpo. Este é o quarto registro de P. africana parasitando um hospedeiro peixe.
Biblioteca responsável: BR68.1