Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

CULTIVATION OF THE EDIBLE MUSHROOM OUDEMANSIELLA CANARII (JUNGH.) HÖHN. IN LIGNOCELLULOSIC SUBSTRATES

José Silveira Ruegger, Marcelo; Maria Tauk Tornisielo, Sâmia; Lúcia Ramos Bononi, Vera; Capelari, Marina.
Braz. J. Microbiol.; 32(3)2001.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-443578

Resumo

The edible mushroom Oudemansiella canarii (Jungh.) Höhn is common in the Brazilian territory, being found in different biomas, where they colonize several plant species. In this study, the O. canarii cultivation was evaluated in polypropilene bags containing sugar-cane bagasse (200 g) or eucalyptus sawdust (200 g) supplemented with wheat bran (50 g). The composts were sterilized at 121ºC for 1 hour, after cooling they were inoculated with 3 g of spawn and then remained incubated at 25ºC until the basidiomata primordia formation. The mushrooms, harvested after the pilei opening, presented varied sizes reaching 9 cm of diameter and 10 cm of height. The fresh mushrooms presented mild taste and soft consistency. When kept at 4ºC, they maintained good appearance and good consistency for 7 days. In a period of 60 days, the largest basidiomata production was obtained in the compost with sugar-cane bagasse, showing greater productivity (4.47% ± 1.34), biological efficiency (55.66% ± 20.41) and compost consumption (38.78% ± 4.59) averages. Wilcoxon's non-parametric statistical analysis used to compare the biomass production in the two composts, showed significant differences at 5% significance level.
O cogumelo comestível Oudemansiella canarii (Jungh.) Höhn., é comum no território brasileiro, sendo encontrado em diferentes biomas, onde colonizam várias espécies vegetais. Neste estudo, o cultivo deste basidiomiceto foi realizado em sacos plásticos contendo bagaço de cana-de-açúcar (200 g) ou serragem de eucalipto (200 g) suplementados com farelo de trigo (50 g). Os substratos foram esterilizados a 121ºC por 1 hora, inoculados com 3 g de grãos de trigo colonizados por micélio do fungo e permaneceram incubados a 25ºC até a formação dos primórdios dos basidiomas. Os cogumelos, colhidos após a abertura do píleo, apresentaram tamanhos variados chegando a atingir 9 cm de diâmetro por 10 cm de altura. Os cogumelos frescos apresentaram paladar suave e consistência macia e quando mantidos a 4ºC permaneceram com bom aspecto e boa consistência por 7 dias. A maior produção de basidiomas, no período de 60 dias, foi obtida no composto com bagaço de cana-de-açúcar, sendo observadas as maiores médias de produtividade (4,47% ± 1,34), eficiência biológica (55,66% ± 20,41) e consumo do composto (38,78% ± 4,59). A análise estatística não paramétrica de Wilcoxon, utilizada para comparar a produção de biomassa nos dois substratos, apresentou diferenças estatisticamente significativas ao nível de 5%.
Biblioteca responsável: BR68.1