Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

AVALIAÇÃO URODINÂMICA DE PACIENTES CHAGÁSICOS

N. Rocha, J.; J. Suaid, H.; C. P. Martins, A.; J. Cologna, A.; Tucci Jr., S.; A. Gonçalves, M..
Acta cir. bras.; 162001.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-448288

Resumo

In this article we have studied the pathophysiology of the lower urinary tract of patients with chronic Chagas' disease: Control Group (A) with 21 normal individuals; Group (B) 16 patients with positive serum for T. cruzi; Group (C) 16 patients with Chagas' cardiophaty and Group (D) 21 patients with Chagas' megacolon or megaesophagus. Urodynamics did not show difference (p > 0,05) among all groups as long as the following parameters are concerned: cystometric bladder capacity, voiding pressure, and urinary flow. On the contrary, a significant difference (p 0,05) was observed between Groups A and D in the following parameters: abdominal pressure, detrussor pressure, urethral pressure and time of voiding. These findings suggest that Chagas' disease promotes changes of the lower urinary tract in patients that bears digestive dysfunction.
No presente trabalho estudou-se a fisiologia urinária de pacientes com Doença de Chagas nas suas diversas formas. Grupo A (controle) com 21 indivíduos normais; Gupo B: 16 pacientes com sorologia positiva; Grupo C: com 16 pacientes com cardiopatia chagásica e Grupo D: 21 pacientes com esofagopatia e/ou megacolon chagásicos. Os resultados mostraram que não houve diferenças significantes (p > 0,05) entre os 4 grupos estudados para os parâmetros: capacidade cistométrica, pressão de micção e fluxo urinário. Entretanto, houve diferenças significantes (p 0,05) para os parâmetros: pressão abdominal, pressão do detrusor, pressão uretral e tempo de micção na análise comparativa entre o grupo D e o controle A. Esses achados sugerem que a Doença de Chagas, em sua forma digestiva, também pode comprometer o trato urinário baixo, alterando sua fisiologia.
Biblioteca responsável: BR68.1