Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

O potencial madeireiro da terra firme em relação à demanda das serrarias do Amazonas

dos Santos, Joaquim; Cristovám da Silva Jardim, Fernando.
Acta amaz.; 18(1)1988.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-449313

Resumo

Data from five "terra.firme" (upland) forest inventories executed within a 200 km radius of Manaus were analyzed in order to evalvate wood potential in function of sawmill demand in the State of Amazonas. It was found that the 34 "terra-firme" species which are commercially sawn represent an average volume of 53,819 m3/ha, of which 30% occurs in diameter classes below 40 cm and 701 in classes above 40 cm. The volume of species with a guaranteed norket represents one half of the potential volume of all commercially sawn "terra-firme" species used in the State of Amazonas. Of these commercial species, twenty ocurred in all five inventory areas, and fifteen of these accounted for 83.19% of the total volume of commercial species.For these species in which 90% of the volume occurs in the upper diameter classes, it is suggested that seed trees be maintained to guarantee natural regeneration after timber harvesting.
Analisa os resultados de cinco inventários florestais realizados num raio de 200 km em torno de Manaus, em florestas de terra firme, avaliando o potencial das mesmas em função da demanda das serrarias do Estado do Amazonas. Conclui que existem trinta e quatro espécies madeireiras de terra firme que já são industrializadas, as quais representam um volume potencial médio por hectare de 53,819 m3, repartido em 30% para a classe diamétrica abaixo de 40 cm e 70% para a classe acima de 40 cm. Afirma que o volume de espécies com mercado garantido representa menos da metade do potencial volumétrico das espécies de terra firme que já são demandadas, em pequena escala, pelas serrarias do Estado. Das espécies consideradas vinte são de ocorrência comum em todas as áreas e quinze destas representam 83,19% do volume total. Recomenda para o manejo das espécies, cujo volume esta concentrado nas classes diamétricas superiores, com mais de 90%, a manutenção de arvores portas ementes para garantir a regeneração natural das mesmas.
Biblioteca responsável: BR68.1