Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Contribuição ao estudo fitoquímico do Phoradendron latífolíum (SW) Griseb. (Erva-de-passarinho)

Aparício Garcia Cortez, Diógenes; de Queiroz Neto, Antonio; Vendrametto Hübner, Dirce; Melito, Ivaldo.
Acta amaz.; 181988.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-449403

Resumo

Phoradendron latifolium (SW) Griseb. is one of many species of mistletoe growing wild in Brazil. The plant used in our experiments was gathered in Maringá-Paraná where it is found growing on the stacks and branches of different hosts.Two ethanolic extracts were prepared using dried and milled leaves. The solvent was evaporated in vacuum. The residue of the first extract was dissolved with propylene glicol, the other residue, after washed with chloroform was dissolved in the same vehicle. Both extracts showed hipotensive response when tested on nembutal anaesthetized rats. The phytochemical screening revealed the presence of volatile and non volatile acids, amino groups, steroids, phenols, gums, mucilage, condensed tannins and heterosidic anthraquinones, flavones and non-haemolytic saponines.
O Phoradendron latifolium (SW) Griseb. objeto de nossa pesquisa é um hemiparasita nativo da região de Maringá-PR onde é encontrado em vários hospedeiros. Utilizamos em nossos experimentos vegetais que tinham como hospedeiro a Figueira Branca (Ficus sp; Moraceae). Foram preparados extratos etanólicos das folhas estabilizadas a 45oC sendo que um deles foi evaporado a pressão reduzida e o resíduo dissolvido em propilenoglicol. O outro teve seu resíduo obtido após evaporação do etanol lavado com clorofórmio objetivando a eliminação de substâncias orgânicas de baixa popularidade, sendo também dissolvido em propilenoglicol. Observou-se que ambos extratos continham princípios ativos hipotensores quando testados na PA de ratos. A marcha fitoquímica evidenciou a presença de ácidos fixos e voláteis, amino grupos, esteróides, fenóis, gomas, mucilagens, taninos condensados, heterosídeos antraquinônicos, flavônicos e saponínicos não hemolíticos.
Biblioteca responsável: BR68.1