Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

DESENVOLVIMENTO DE ÁRVORES NATIVAS EM ENSAIOS DE ESPÉCIES. 4. CASTANHA-DO-BRASIL (Bertholletia excelsa . B. K.), DEZ ANOS APÓS O PLANTIO

Paulo FERNANDES, Noeli; da Cruz ALENCAR, Jurandyr.
Acta amaz.; 23(2)1993.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-449573

Resumo

Experimental plots of Bertholletia excelsa . . K. were implanted in 1980 at INPA's Experimental Station for Tropical Silviculture to study growth rates in terms of wood and nut production. The plantation was done on a clear-curted area, with 3.0 by 3 0 m spacing. Ten years later we have observed the following averages: dbh 13.9 cm and total heigth 15.41 m; maximum observed dbh and heigth were 21.7 cm and 23.0 m, respectively: basal area average per hectare and mean volume per hectare were 11.7098 m2 and 117.291 m3; mean survival of 69.44%; cylinder-shaped stem and complete absence of disease or pests. According to dbh average increment rate (t%) it was found a low increment at the age of six years, showing the necessity of thinning, not carryied out because it was just a case of growth trial plots. Up to now B. excelsa trees have showed very good natural pruning and adaptation for red-yellowish latossols.
Três parcelas experimentais de Bertholletia excelsa (Castanha-do- Brasil) foram implantadas na Estação Experimental de Silvicultura Tropical do INPA/Manaus, em 1980, com o objetivo de obter dados sobre o crescimento da espécie com fins de produção de madeira e frutos. O sistema de plantio adotado foi em plena abertura, sobre Latossolo vermelho-amarelo, no espaçamento de 3,0 x 3,0 m. Foram observados, aos 10 anos, os seguintes resultados, diâmetro médio (DAP) de 13,9 cm e a altura total média de 15,41 m; os valores máximos de diâmetros e alturas encontrados foram de 21,7 cm e 23,0 m. respectivamente; a área basal média por hectare foi de 11,7098 nr. correspondendo a um volume médio de 117391 m3/ha; a espécie apresentou ótima desrama natural, boa adaptação ao Latossolo vermelho - amarelo, 69,44% de sobrevivência média, boa forma de fuste, não tendo sido verificadas doenças ou pragas.
Biblioteca responsável: BR68.1