Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Ponto de amostragem ao longo do fuste para estimativa do poder calorífico da madeira

Agostinho da Centro de Ciências Florestais e da Madeira (CIFLOMA) Departamento de Energia da Biomassa Florestal) Silva, Dimas; Otomar Centro de Educação Superior Norte do Rio Grande do Sul (CESNORS) Departamento de Agroclimatologia) Caron, Braulio; Behling, Alexandre; Queiróz de Souza, Velci; Centro de Educação Superior Norte do Rio Grande do Sul (CESNORS) Departamento de Agroclimatologia) Eloy, Elder.
Ci. Rural; 42(9)2012.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-707908

Resumo

This research had the objective of studing the variation of the calorific power along the shaft of the species forest Acacia mearnsii de Wild, Eucalyptus grandis W. Hill, Mimosa scabrella Benth. and Ateleia glazioveana Baill and also to evaluate the number and the positions of the samples along the shaft for the estimate of calorific power of these species. For so much, they were solitary disks of approximately two centimeters of thickness, along 0%, 25%, 50% and 75% of the total height of trees, with a year of age, for determination of the power calorific superior in calorimeter (C5000, IKA WORKS). For the Eucalyptus grandis and the Ateleia glazioveana it is possible to esteem the power calorific superior starting from a disk, respectively in the positions 50% and 0%, and for the Mimosa scabrella with two disks, in the positions 0+75% and for the Acacia mearnsii, three disks, in the positions 0+25+75%.
Este trabalho teve como objetivo verificar a variação do poder calorífico superior (PCS) ao longo do fuste das espécies florestais Acacia mearnsii De Wild, Eucalyptus grandis W. Hill, Mimosa scabrella Benth. e Ateleia glazioveana Baill e também avaliar o número e as posições das amostras ao longo do fuste para a estimativa do PCS dessas espécies. Para tanto, foram retirados discos de aproximadamente dois centímetros de espessura, ao longo de 0 %, 25 %, 50 % e 75 % da altura total de árvores com um ano de idade para determinação do PCS em bomba calorimétrica (C5000, IKA WORKS). Para Eucalyptus grandis e Ateleia glazioveana, é possível estimar o PCS a partir de um disco, respectivamente, nas posições 50% e 0% da altura total, para Mimosa scabrella em dois discos, nas posições 0+75% e para Acacia mearnsii em três discos, nas posições 0+25+75% da altura total.
Biblioteca responsável: BR68.1