Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Genetic variability in Mediterranean buffalos evaluated by pedigree analysis

Rezende) Teixeira Neto, Milton; Ferreira da Cruz, Jurandir; Amorim Departamento de Produção e Exploração Animal) Ramos, Alcides; Luiz Souza Carneiro, Paulo; Maria Machado Ribeiro Azevêdo, Danielle; Bozzi, Riccardo; Henrique Mendes Malhado, Carlos.
Ci. Rural; 42(11)2012.
Artigo em Inglês | VETINDEX-Express | ID: vti-707977

Resumo

The objective of this research was to study the population genetic structure of four herds of Mediterranean buffaloes in Brazil. It was used pedigree data from 6,588 buffaloes of Mediterranean breed born from 1980 to 2002. Of the total number of animals studied, 60.5, 15.3 and 2.1% had a pedigree in the first, second and third ascendancy, respectively. The effective number of herds that provided breeding males was 1.60 for parents, 1.16 for grandparents and 1.00 for great-grandparents. There were 923 founder animals and only 71 effective founders. The effective number of ancestors explaining the genetic variability of the population was 71 and only 30 ancestors accounted for 50% of the genetic variability of the population. The average relatedness coefficient (AR) between individuals and inbreeding (F) of the population were estimated at 0.37 and 0.34% respectively. The average estimate of generation interval was 8.71±2.85 years. The variability of the current population is the result of a few ancestors, who are mostly also founders showing that the population was developed from a narrow genetic base which characterizes the occurrence of founder effect.
O objetivo deste trabalho foi estudar a estrutura genética populacional de bubalinos da raça Mediterrâneo, em quatros rebanhos, no Brasil. Foram utilizados dados de pedigree de 6.588 bubalinos da raça Mediterrâneo nascidos no período de 1980 a 2002. Do total de animais estudados, 60,5; 15,3 e 2,1% possuíam pedigree na primeira, segunda e terceira ascendência, respectivamente. O número efetivo de rebanhos que forneceram machos reprodutores foi de 1,60 para pais; 1,16 para avôs e 1,00 para bisavôs. O número de animais fundadores foi 923 e o número efetivo de fundadores foi apenas 71. O número efetivo de ancestrais que explicaram a variabilidade genética da população foi de 71 e somente 30 ancestrais explicaram 50% da variabilidade genética da população. Os coeficientes médios de relação (CR) entre os indivíduos da população e de endogamia (F) foram estimados em 0,37 e 0,34%, respectivamente. A estimativa média do intervalo de gerações foi de 8,71±2,85 anos. A variabilidade da população atual é fruto da contribuição de poucos ancestrais, que são, na sua maioria, também fundadores, evidenciando que a população se desenvolveu a partir de uma base genética estreita, o que caracteriza a ocorrência do efeito fundador.
Biblioteca responsável: BR68.1