Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

CONCENTRAÇÃO DE FIBRAS (FDN e FDA) E MINERAIS DE CULTIVARES DE MILHETO EM SUCESSÃO À CULTURA DE FEIJÃO NO SUL DE MINAS GERAIS

Carvalho Maia, Marcos; Cardoso Pinto, José; Ricardo Evangelista, Antônio.
Ci. Anim. bras.; 1(1): 23-29, 2000.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-713696

Resumo

O milheto [Pennisetum americanum (L.) Leeke] foi cultivado em sucessão à cultura de feijão (Phaseolus vulgaris L.) no Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Avaliaram-se os teores de fibra e minerais de três cultivares de milheto (milheto comum, BN 2 e CMS 02), semeadas após a cultura do feijão das águas, sem nenhuma adubação adicional, na safrinha, em quatro épocas de semeadura, com espaços de 20 dias, a partir de 22/2/1997, no delineamento de blocos ao acaso, em esquema de parcelas subdivididas, alocando as épocas nas parcelas principais e as cultivares nas subparcelas. A menor concentração de FDN (66,85%) foi determinada na cultivar milheto comum. As cultivares de milheto não diferiram em relação ao teor de FDA; a média das três cultivares foi de 40,8%. De um modo geral, os teores de P e K na forragem de milheto diminuíram da época de semeadura 1 para a época 4, enquanto os teores de Ca e Mg apresentaram comportamento oposto. Sugere-se que, na região de Lavras-MG, o milheto seja semeado até meados do mês de março, na safrinha, em plantio de sucessão, utilizando-se as cultivares BN 2 e milheto comum. PALAVRAS-CHAVE: Adubação residual, composição química, época de semeadura, safrinha.
Biblioteca responsável: BR68.1