Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Development of trairão (Hoplias lacerdae) fingerlings in darkness - DOI: 10.4025/actascibiolsci.v28i1.1058 / Desenvolvimento de alevinos de trairão (Hoplias lacerdae) na ausência de luz - DOI: 10.4025/actascibiolsci.v28i1.1058

Lúcia Salaro, Ana; Kennedy Luz, Ronald; Alexandre Sampaio Zuanon, Jener; Nardez Sirol, Rodolfo; Sakabe, Róberson; Azis Garcia de Araújo, Wagner; Ferri Souto, Eduardo.
Acta Sci. Biol. Sci.; 28(1): 47-50, 2006.
Artigo em Português | VETINDEX-Express | ID: vti-726062

Resumo

Sixty-six trairão (Hoplias lacerdae) fingerlings (average weight of 2.0±0.5 g and total length of 5.8±0.2 cm), trained to accept dry rations, were allotted to six 15-L aquariums, with aeration and controlled temperature (24.0±0.5ºC), in a density of 0.7 juveniles/L, aiming to evaluate the effects of darkness on fish productive performance. The treatments consisted of two photoperiods: 12 hours light: 12 hours dark (12L:12D) and 0 hour light: 24 hours dark (0L:24D), with three replicates. Fingerlings were fed ad libitum a commercial extruded diet (42% CP), twice a day. The aquariums were cleaned daily for excrement withdrawal through siphoning, exchanging » total volume. At the end of the experiment (30 days), weight gain, feed:gain ratio and survival and cannibalism rates were evaluated. The results showed that darkness did not affect the productive performance of trairão juveniles
Sessenta e seis alevinos de trairão (Hoplias lacerdae) (peso médio de 2,0±0,5 g e comprimento total de 5,8±0,2 cm) condicionados à aceitação de rações secas foram distribuídos em 6 aquários de 15 L de água com temperatura de 24,0±0,5ºC, densidade de estocagem de 0,7 juvenis/L e aeração constante, com o objetivo de avaliar a ausência de luz no desempenho produtivo dos peixes. Os tratamentos consistiram dos fotoperíodos: 12 horas luz:12 horas escuro (12L:12E) e 0 horas luz:24 horas escuro (0L:24E), com 3 repetições cada. Os alevinos foram alimentados duas vezes ao dia, com ração comercial extrusada (42% proteína bruta). Diariamente, os aquários foram sifonados com a troca de 25% do volume total de água. Ao final de 30 dias, foram avaliados ganho de peso, conversão alimentar e taxas de sobrevivência e de canibalismo. Os resultados demonstraram que a ausência de luz não influenciou o desempenho produtivo dos alevinos de trairão
Biblioteca responsável: BR68.1