Your browser doesn't support javascript.

Portal de Pesquisa da BVS Veterinária

Informação e Conhecimento para a Saúde

Home > Pesquisa > ()
Imprimir Exportar

Formato de exportação:

Exportar

Exportar:

Email
Adicionar mais destinatários

Enviar resultado
| |

Molecular prevalence and factors associated with Babesia vogeli infection in dogs in the Cerrado Mato-Grossense region of Brazil / Prevalência molecular e fatores associados à infecção por Babesia vogeli em cães do cerrado Mato-Grossense

Castro, Vanessa Vieira; Ayres, Eveline da Cruz Boa Sorte; Canei, Darlan Henrique; Pereira, Mariana Elisa; Sousa, Valéria Régia Franco; Chitarra, Cristiane Silva; Dutra, Valéria; Nakazato, Luciano; Almeida, Arleana do Bom Parto Ferreira de.
Ci. Rural; 50(2): e20190389, Feb. 3, 2020. tab
Artigo em Inglês | VETINDEX | ID: vti-744679

Resumo

Canine babesiosis is a common haemoparasitosis in Brazil. Caused by parasites of the genus Babesia, it is transmitted by ixodid ticks and affects domestic and wild canids. The objective of this study was to verify the prevalence of Babesia species (spp.) using molecular methods in dogs living in urban and rural areas of Cuiabá, Mato Grosso State, Brazil, and to identify the main factors associated with infection. A total of 407 samples from 407 dogs were evaluated using a polymerase chain reaction (PCR) technique, among which Babesia species (spp.) was amplified in 10 (2.5%). Although, no statistical association was found among the variables studied (p>0.05), greater positivity was observed in dogs<1 year of age, male sex, those with free access to the street, and the presence of ticks. PCR samples positive for Babesia spp. were submitted to sequencing and compared in GenBank and exhibited a high degree of similarity with Babesia vogeli sequences.(AU)
Babesiose canina é uma hemoparasitose comum no Brasil. Causada por parasitos do gênero Babesia, é transmitida por carrapatos ixodídeos e acomete canídeos domésticos e silvestres. O objetivo deste trabalho foi verificar a prevalência molecular da infecção por Babesia spp. em cães residentes em áreas urbanas e rurais do município de Cuiabá, estado de Mato Grosso, Brasil, e relacionar os principais fatores associados à infecção. Para a pesquisa foram avaliados 407 cães usando a PCR. Das 407 amostras analisadas, 10 (2,5%) amplificaram DNA de Babesia spp. Não foi observada associação estatística entre as variáveis pesquisadas (p>0,05), porém observou-se maior positividade em cães com idade inferior a um ano, machos, com livre acesso à rua e com a presença de carrapatos. Amostras positivas nas PCRs para Babesia spp. foram submetidas a sequenciamento e comparadas no GenBank, mostrando alto grau de similaridade com as sequências de B. vogeli.(AU)
Biblioteca responsável: BR68.1
Localização: BR68.1